Estilo de vida saudável pode diminuir risco de doenças

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou nessa segunda-feira, 19 de janeiro, um relatório global sobre as chamadas doenças não transmissíveis de 2014 com dados impressionantes. Um deles diz que, por ano, 38 milhões de pessoas no mundo perdem a vida por conta de enfermidades como doenças cardiovasculares, cânceres, doenças crônicas respiratórias e diabetes. Conforme as estatísticas da OMS, grande parte das mortes por esse tipo de doenças ocorre de maneira prematura (antes dos 70 anos de idade) e é evitável. Em 2012, pelo menos 42% dessas mortes não precisariam ter ocorrido.

De acordo com o relatório do órgão internacional, mortes prematuras decorrentes de doenças não transmissíveis podem ser reduzidas por meio de políticas sociais que envolvem diminuição da produção de tabaco, redução do uso do álcool, eliminação de dietas não saudáveis e combate à inatividade física. A meta da OMS é baixar em 25% essa taxa de mortes prematuras até 2025 com o estímulo a essas ações governamentais.

Estilo de vida

Quando se fala de fatores de risco, no entanto, é possível compreender que um estilo de vida saudável é responsável imediato pela prevenção. Vai além, portanto, de políticas públicas e tem muito a ver com uma conscientização individual. A OMS informa, por exemplo, que cerca de 3 milhões e 200 mil mortes anuais podem ser atribuídas à insuficiente atividade física. Outro exemplo vem a partir da alimentação. Dados de 2010 indicam que 1 milhão e 700 mil mortes anuais por causas cardiovasculares estão associadas ao consumo excessivo de sal.

Os adventistas do sétimo dia, grupo religioso cristão, propõem, esse ano, a distribuição de quase 22 milhões de exemplares do livro Viva com Esperança   (download grátis do livro em http://vivacomesperanca.com.br) que ajuda justamente a conscientizar sobre os hábitos que podem reduzir esses índices. Ações práticas de saúde preventiva também devem acontecer ao longo do ano promovidas pelos 2 milhões e meio de membros da denominação, especialmente no mês de maio.

O projeto Viva com Esperança deverá associar a prevenção de saúde com a espiritualidade. Tanto que o próprio livro foi organizado por um médico, o cardiologista Peter Landless, e pelo pastor Mark Finley. Segundo os autores, é impossível separar a natureza espiritual da fisiológica do ser humano. A respeito do livro, o prefácio vai justamente ao encontro do que as estatísticas da OMS apontam: “ao caminhar por estas páginas e refletir sobre sua saúde, você reconhecerá que, para alcançar a felicidade total, provavelmente precisará fazer ajustes na direção de sua vida”.

[Equipe ASN, da Redação]

Fonte: http://esperanca.com.br

Anúncios

Em 2007 Chico Anysio falou a Rádio NT sobre saúde e tabaco

chico-anysio Chico Anysio foi uma das personalidades mais importantes do Brasil no que se diz respeito a cultura. O artista interpretou mais de 200 personagens que marcaram seus mais de 60 anos de carreira.

O Conexão Novo Tempo exibiu uma entrevista que o jornalista Elias Teixeira fez com Chico Anysio em 2007. Na entrevista o ator falou e advertiu sobre o problema que ele tinha com o tabaco, que mais tarde o levaria a morte.

Para ouvir a entrevista, clique aqui!

Fonte: Sétimo Dia

Doenças Evitáveis

Doenças Evitáveis - Compartilhe

Esta é, realmente, uma questão muito atual e recentemente a mídia mundial tem noticiado com frequência sobre as doenças não transmissíveis (DNT). Em setembro de 2011, as Nações Unidas sediaram reuniões de alto nível para tratar da crise global causada pelo crescimento dessas doenças, que em sua maioria, podem ser evitadas. As palavras do secretário-geral das Nações Unidas descrevem a preocupação que essas doenças estão gerando: “Nossa colaboração é mais do que uma necessidade de saúde pública. As doenças não transmissíveis são uma ameaça ao desenvolvimento, e atingem especialmente o pobre e vulnerável, empurrando-os para uma pobreza ainda mais profunda.” Isso foi depois de descrever as perspectivas sombrias, como a elevação rápida das DNT em todas as regiões do mundo, em economias pobres e emergentes enfrentando os maiores desafios e ainda crescendo. Você está correto quando diz que as doenças transmissíveis são ainda maior problema. Isso pode ser ilustrado por problemas como a tuberculose, HIV e AIDS, malária e gastroenterites que ceifam milhões de vidas todos os anos. Por muitas décadas têm surgido iniciativas globais com o objetivo de combater essas doenças, melhorando o saneamento, a qualidade da água, a segurança alimentar, bem como tentativas de modificar as práticas sexuais de alto risco. Enquanto o foco esteve diretamente nas doenças infecciosas, as DNT aumentaram alarmantemente e são a maior causa de mortes evitáveis em todo o mundo. Elas também têm contribuído com a pobreza e perda de produtividade.

As principais DNT são: doenças cardíacas, derrame cerebral, câncer, diabetes e doenças respiratórias crônicas. Elas afetam todas as pessoas e comunidades.

Os maiores fatores de risco são conhecidos e similares em todos os lugares:

  • tabaco
  • alimentos com alta concentração de
  • gorduras trans
  • excesso de sal
  • álcool
  • excesso de açúcar, especialmente de
  • bebidas adoçadas
  • inatividade física
  • obesidade

Esta lista dos fatores o ajudara a decidir se você corre risco ou não.

O tabaco é fumado ou mascado por mais de um bilhão de pessoas diariamente e sustentado pela dependência da nicotina. Pelo menos cinco milhões de pessoas morrem cada ano por causas relacionadas ao cigarro. Essas doenças podem ser prevenidas se o tabaco e a fumaça do tabaco (incluindo os fumantes passivos) for evitada. Embora tenha havido uma diminuição no uso do tabaco em muitos países com renda alta, o seu uso nos países com renda baixa e média têm sofrido um aumento alarmante; os adolescentes permanecem sendo o alvo principal da indústria do tabaco. A fim de reduzir o número de mortes relacionadas ao tabaco e às DNT, não só a taxa de iniciação ao tabagismo deve decrescer, mas estratégias de combate ao fumo devem ser abraçadas e promovidas.

É estimado que o consumo de alimentos com alto índice de gorduras saturadas e trans, sal e açúcar seja a causa de 40 por cento das mortes anuais por DNT (num total de aproximadamente 14 milhões). Muitos estudos têm mostrado os efeitos negativos desses alimentos. Os Estudos de Saúde Adventista têm sido pioneiros em mostrar os benefícios de uma dieta baseada em plantas, pobre em gorduras saturadas, com grande variedade de grãos, vegetais, frutas e algumas castanhas (um pequeno punhado, diariamente).

O consumo de álcool é o terceiro na liderança das causas de mortes evitáveis. Ele contribui com a causa de vários cânceres, e não há uma dose de consumo segura para prevenir esse perigo. Sessenta por cento das mortes ligadas ao consumo de álcool são resultantes de DNT.

A inatividade física está relacionada à atual pandemia de obesidade e também do diabetes tipo 2. Exercícios regulares resultam em melhor saúde cardíaca, facilita a administração do peso corporal, previne e melhora o diabetes tipo 2 e decresce alguns tipos de cânceres (mama e cólon).

Em resumo, as DNT são a maior ameaça global, e são necessárias ações responsáveis de liderança em todos os níveis para frear essa fonte destrutiva de enfermidades. Muitas das DNT são totalmente evitáveis. Os que estão em risco podem ser rapidamente identificados. Essa é uma oportunidade de ouro para cada igreja e congregação se tornar um centro de saúde comunitário, e cada membro de igreja, um promotor de saúde. Isso fará uma grande diferença neste mundo deteriorado em que vivemos.

Untitled-1

Allan R. Handysides,médico ginecologista, é diretor do Ministério da Saúde da  Associação Geral.

Peter N. Landless,médico cardiologista nuclear, é diretor associado do Departamento de Saúde da Associação Geral.

Fonte: http://portuguese.adventistworld.org/