50 mil orações respondidas

George Muller (foto) foi um homem de oração. Construiu vários orfanatos e sustentou milhares de órfãos sem pedir nada para ninguém. Apenas para Deus. Tinha calos nos joelhos. Leu a Bíblia mais de 100 vezes.

Anos atrás li um dos muitos livros que contam relatos impressionantes de respostas às orações. O título já é sugestivo: “50 mil orações respondidas”. Muller registrava, como um cuidadoso contabilista, o dia do pedido e a data da resposta recebida de Deus.

Todo esse ministério de serviço voluntário foi desenvolvido na Inglaterra, porém Muller nasceu na Prússia, em 1805. Convertido, depois de anos de devassidão e pecado, mereceria um lugar na galeria dos homens da fé, em Hebreus 11.

Entre tanta coisa que existe sobre a vida deste homem de Deus (eu sou um fã dele e já vivi algumas experiências parecidas – ah, também nascemos no mesmo dia, 27 de setembro), deixou cinco condições para uma oração eficaz:

1 – Plena dependência nos méritos e mediação do Senhor Jesus Cristo – a única base do recebimento das bênçãos de Deus.

2 – Separação de todo pecado conhecido; se atentarmos à iniqüidade nos nossos corações, o Senhor não nos ouvirá, pois tal seria aprovar o pecado.

3 – A fé na Palavra de Deus, confirmada pelo seu juramento; não crer nEle, seria fazê-lo mentiroso e perjuro.

4 – Pedir segundo a vontade de Deus; precisamos ter motivos puros, não apenas buscar alguma coisa de Deus para despendê-la nas nossas cobiças.

5 – A insistência em suplicar, esperando em Deus e por Ele, como o lavrador espera o precioso fruto da terra.

George Muller praticava continuamente a oração intercessora. Orava pelos amigos, pelos não convertidos, por aqueles que estavam distantes do Senhor. Certa feita orou pela conversão dos  três filhos de um amigo. Depois de 10 anos o primeiro converteu-se. Continuou orando pelos outros dois. Quase dez anos depois o segundo aceitou Jesus. Persistiu orando pelo terceiro. Este se converteu pouco tempo depois da morte de Muller.

E você? Tem feito da oração a “respiração da alma”? Escolha três amigos (ou inimigos!) e comece a orar por eles. Aliás, tem um projeto novo começando na internet chamado Oro Por Você. Uma agenda virtual de oração onde você pode registrar seus pedidos, agradecimentos, orar pelos outros e receber orações.

Siga aí as dicas de George Muller. Mantenha sintonia constante com o Rei do Universo. Ele tem prazer em responder!
(Amilton Menezes)

Fonte: http://oroporvoce.com/blog

Anúncios

Neurose. O que é isso?

Acho a palavra “neurose” antipática. Mas é científica. Ela foi criada em 1787 por William Cullen, químico e psiquiatra britânico, e vem do grego “neuron” (nervo) e “osis” (condição doente ou anormal). Sinônimos para neurose são “psiconeurose” e “distúrbio neurótico”, que são transtornos mentais que não interferem com o pensamento racional ou com a capacidade da pessoa funcionar na sociedade, como trabalhar, casar, estudar, etc. Atualmente se utiliza o termo “transtorno neurótico” e não “neurose”.

A origem do transtorno neurótico é emocional, psicológica ou psíquica, ou seja, não se encontra alterações físicas cerebrais para ele, e a causa tem que ver com tensões internas, conflitos mal resolvidos, traumas psicológicos inconscientizados, dificuldade ou incapacidade da pessoa resolver conflitos pessoais de modo satisfatório.

Tensões emocionais ou psicológicas podem mesmo afetar o físico, sendo as chamadas doenças psicossomáticas, que afetam o corpo mas que têm origem na mente. Estas tensões atingem a pessoa no chamado “órgão de choque” dela, que para cada indivíduo pode ser um órgão diferente. Uns podem ter manifestações emocionais descarregadas no estômago, outras na pele, ou no sistema imune dando doenças autoimunes (o corpo ataca a si mesmo), etc.

Neurose é um exagero da resposta emocional diante de conflitos. Por exemplo: a fobia é um transtorno da esfera neurótica. Fobia é o deslocamento da ansiedade para um ponto em que a pessoa consegue algum controle sobre sua dor emocional (medo, tristeza, ansiedade, culpa, vergonha, etc.). A pessoa com algum tipo de fobia tem conflitos mal resolvidos em seu psiquismo (mente) os quais podem estar inconscientes. Estes conflitos podem ser muito difíceis de serem conscientizados, porque podem causar muita dor, tristeza, ansiedade, então a mente dela “decide” jogar a(s) causa(s) real deles, para debaixo do tapete da consciência. Só que o problema existe e não foi resolvido. Daí surge a fobia. Num exemplo de uma pessoa com fobia de altura, é como se seu inconsciente dissesse: “Eu prefiro lidar com este medo (fobia) de altura, do que encarar o conflito doloroso dentro de mim!”

A neurose é um encolhimento do ser para preservar uma parte do ser. Ou seja, a pessoa se sente acuada dentro de si mesma, talvez desde a infância, diante de conflitos que para ela foram pesados, e foi perdendo a capacidade de ser mais plena. Não há ninguém que seja cem por cento normal mentalmente. Todos nós temos necessidade de ajustes em nossa maneira de ser. Os mais impulsivos, precisariam aprender a ter autocontrole. Os mais passivos, precisariam a aprender a agir. Mas cada um tende a ficar na zona de conforto pessoal, porque não é fácil mudar.

Podemos canalizar nossos conflitos neuróticos para ações até úteis na sociedade, como para a arte, a música, a literatura, dons comerciais e empresariais, talentos domésticos, etc. Mas quando o transtorno neurótico é mais grave, ele é mais limitante para o indivíduo, que viverá uma vida mais vazia de sentido, mais egocêntrica, mais medrosa, mais recolhido, mais defensivo, menos altruísta.

Quanto mais saudáveis mentalmente, mais seremos úteis para ajudar as pessoas com um espírito voluntário, teremos atitudes de ajuda ao próximo, teremos mente aberta, sentindo que temos uma contribuição a dar para ajudar a aliviar o sofrimento das pessoas, qualquer pessoa, e produzir justiça e misericórdia.

Sabedoria da Bíblia:
-E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. Marcos 12:31
– Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. 1 Pedro 5:7

– Esforçai-vos, e animai-vos; não temais, nem vos espanteis diante deles; porque o Senhor teu Deus é o que vai contigo; não te deixará nem te desamparará. Deuteronômio 31:6

Dr.Cesar Vasconcellos
Leia Mais: http://www.portalnatural.com.br/saude-mental/saude-da-mente/neurotico-eu/#ixzz3FNYqm3lu

Fonte: http://esperanca.com.br

O Deus dos Anos Perdidos

Vou compensá-los pelos anos de colheitas que os gafanhotos destruíram: o gafanhoto peregrino, o gafanhoto devastador, o gafanhoto devorador e o gafanhoto cortador, o Meu grande exército que enviei contra vocês. Joel 2:25

arrependimento Observei minha agenda e gelei. Ela indicava que dali a poucos instantes um homem que havia me atacado verbalmente em pessoa e por vídeo viria conversar comigo. Anos antes, esse homem havia iniciado sua carreira com o objetivo de servir como ministro adventista, mas logo começou a trilhar um caminho independente em que lançava críticas à igreja e aos líderes. Fiquei imaginando o que ele queria comigo.

Ele chegou ao meu escritório acompanhado da esposa. Dentro de instantes estava implorando meu perdão com súplicas sinceras e em meio a lágrimas. Eu lhe disse que o perdoava e ele começou a contar como o Senhor havia interferido em sua vida para que ele mudasse radicalmente de atitude.

Aos poucos partilhou a história de sua vida, como ingressou no ministério, a razão de ter saído, como construiu um grande ministério particular com forte apoio financeiro. Agora havia perdido tudo. A decisão de parar de criticar os outros resultou na perda de seus adeptos e do dinheiro que lhe ofereciam. Próximo à meia-idade, viu sua vida ruir, suas esperanças serem destruídas.

Será que ainda havia lugar para ele no ministério? Ele desejava saber. Assegurei-lhe que Deus sempre nos concede uma segunda chance, que Ele é capaz de extrair o bem de situações aparentemente desesperadoras. Adverti-o a contentar-se com qualquer posição, por mais humilde que fosse, e a aceitar qualquer responsabilidade que lhe fosse oferecida, mesmo que pequena, sem considerar a recompensa monetária.

Durante aquela conversa maravilhosa e emocionante, lhe mostrei as palavras encontradas no livro de Joel: “Vou compensá-los pelos anos de colheitas que os gafanhotos destruíram” (Jl 2:25). Disse-lhe que ele devia reclamar a promessa de um novo começo; que, apesar das oportunidades passadas terem sido perdidas para sempre, Deus poderia conceder-lhe novas oportunidades. Deus ainda podia fazer algo lindo nos anos vindouros de sua vida.

As palavras do texto ecoaram em seu ser. Ele e a esposa saíram com esperança. Por muitos meses, ele se contentou com uma posição humilde. Até que chegou o dia em que recebeu o chamado para pastorear duas igrejas pequenas. Que alegria! Que cumprimento da Palavra de Deus, que põe de lado os anos perdidos e nos concede um novo começo!

Fonte: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2012/frmd2012.html

Nossa Descrição de Trabalho

trabalho-missionario Bom dia a todos. O tema de hoje é: “Nossa Descrição de Trabalho.”
Depois de analisar o evangelho e o testemunho temos condições adequadas de fazer uma declaração do nosso trabalho de acordo com as orientações bíblicas.
Evangelismo é o processo de proclamar o evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo de maneira clara e persuasiva, de modo que homens e mulheres O aceitem como Salvador e O sigam como Senhor, para que se tornem discípulos bem como formadores de discípulos.
Assim fazendo, estamos nós seguindo a missão que o Senhor nos confiou quando disse: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.” Mateus 28:18-20.
O rápido crescimento da igreja primitiva foi devido em grande parte, à convicção e empenho de seus membros. Evidentemente tudo isso passa pelos ensinamentos de Jesus e pelo poder do Espírito Santo.
Nem sempre são as palavras rebuscadas que fazem a diferença. Milhares podem ser alcançados de modo simples e humilde.
Tenham todos um ótimo dia.

Fonte: http://www.stina.com.br/

O Salmo 118 e a “observância” do domingo

Calendário “A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular. Isso vem do Senhor, e é algo maravilhoso para nós. Este é o dia em que o Senhor agiu; alegremo-nos e exultemos neste dia.” (Nova Versão Internacional, grifo acrescentado).

Há muito tempo vários defensores da observância do primeiro dia da semana têm forçado o Salmo 118:22-24 a dizer o que ele não quer.

Afirmam tais estudiosos que o “dia em que o Senhor agiu” é uma referência ao dia da ressurreição de Jesus (domingo) e que, portanto, o salmista estaria profetizando a mudança do dia de guarda.

Entretanto, é impossível imaginar que Davi estivesse fazendo uma profecia sobre algo contrário ao que Jesus mesmo disse em Mateus 5:17-19. O Salvador garantiu que Ele não veio para mudar a Lei, tornando assim o plano de salvação algo incoerente (por que pagar a dívida por nossa desobediência a uma Lei que pode ser mudada?)

Ele veio para cumprir a Lei (que nesse texto se refere aos escritos de Moisés) no sentido de dar a ela o seu verdadeiro significado e mostrar a amplitude espiritual dela. Esse é o significado do termo grego para “cumprir” (pleroo).

Além disso, é de estranhar que Davi, um observador do sábado, que até compôs o que conhecemos como Salmos Sabáticos (do número 92 a 100), tenha profetizado a mudança do dia de guarda.

Mais estranho ainda é ele não ter feito pelo menos um Salmo (ou hino) para “comemorar” a santidade do domingo! Não estou fazendo uso do chamado “argumento do silêncio”, mas, refletindo no comportamento do salmista diante do dia de guarda.

NÃO É SÓ ISSO

A seguir, apresentarei outras razões que nos levam a ter certeza de que o Salmo 118 não fala da observância do domingo. Elas foram extraídas do livro Respostas a Objeções, de Francis Nichol (Casa Publicadora Brasileira, 2004), p.p. 159-162:

1) Em nenhum lugar a Bíblia diz que Cristo tornou-se a “principal pedra angular” pelo ato de ressuscitar dos mortos;

2) O contexto de Colossenses 1:18 indica que, se algum ato está sendo focalizado, é a morte de Cristo, que ocorreu no sexto dia da semana (Nota: para serem mais coerentes com o próprio argumento em torno do Salmo 118, os observadores do domingo deveriam observar a sexta-feira);

3) É evidente que a declaração de Paulo em Efésios 1:22, a respeito da supremacia de Cristo sobre a igreja, não justifica a conclusão de que a aquisição de Sua supremacia ocorreu no domingo da ressurreição;

4) O grande plano da salvação depende de uma série de importantes eventos (não somente a ressurreição): a crucifixão e o segundo advento;

5) Um exame dos versos que precedem e seguem a passagem (Sl 118:22-24) revela que o salmista aqui está preocupado com o assunto amplo da salvação (e não com a observância do domingo). Assim diz o verso 21: “Render-te-ei graças porque me acudiste e foste a minha salvação”. Diz o verso 25: “Oh! Salva-nos, Senhor, nós te pedimos; oh! Senhor, concede-nos prosperidade!”. Compare o comentário de Pedro no Novo Testamento: “Este Jesus é a pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular. E não há salvação em nenhum outro” (At 4:11, 12).

6) De acordo com o apóstolo Paulo (2Co 6:2), o “dia da salvação”, do qual os profetas tinham escrito, era o “agora” (decidir-se pela salvação HOJE), quando ele estava escrevendo à igreja de Corinto, muitos anos depois da ressurreição.

7) O paralelo do Salmo 118:22-24 é com João 8:56. Veja:

“Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele”

“Abraão, vosso pai, alegrou-se por ver o Meu dia, viu-o e regozijou-se.

O paralelismo é perfeito. Aqui vemos que Abraão, com olhar profético, antecipou o próprio tempo em que Cristo estaria diante dos homens para lhes oferecer a salvação e “regozijou-se”. Evidentemente, o “dia da salvação”, segundo esse texto paralelo, começou antes da ressurreição.

A conclusão natural é que o Salmista está falando do dia da salvação que seria anunciado claramente pelo advento de nosso Senhor como o Salvador da humanidade.

E para encerrar, Francis Nichol continua: “A Bíblia revela que Abraão ‘regozijou-se’ e ‘alegrou-se’ em relação ao ‘dia’ do qual falou o salmista. Há algum defensor do domingo tão corajoso a ponto de afirmar que Abraão guardou o domingo?”

CONSELHO FINAL DESTE IRMÃO

Aceite os fatos não por causa dos adventistas, mas, por causa do seu amor e respeito a Deus (Jo 14:15). E, medite no fato de Davi ter escritos os salmos sabáticos e não “salmos dominicais”.

Ah! Não se esqueça do que Jesus ensinou em Mateus 5:17-19. Isso evitará que sua mente divague em busca de novos “argumentos”, além dos que Deus já expos claramente nas Escrituras a respeito do assunto.

Um abraço e que “O Senhor do Sábado” (Mc 2:28; Mt 12:8) lhe abençoe e guarde.

(Autor: Leandro Quadros)

Fonte: http://novotempo.com/namiradaverdade/2012/01/15/o-salmo-118-e-a-%E2%80%9Cobservancia%E2%80%9D-do-domingo/

(04 de 08) Como ser feliz em 8 sábados? – Pr. Álvaro Martinho

Olá, como você está? Tudo bem?

Estamos aqui, mais uma vez, para lhe passar uma prévia do 4º dia da Série “Como Ser Feliz em 8 Sábados?”, e esperamos que o Senhor te abençoe e o Espírito Santo toque no seu coração e na sua mente, na expectativa de você ser uma grande ferramenta de evangelização.

Antes de iniciar o sermão, o pastor nos fez alguns lembretes importantes, como por exemplo, o programa da Igreja chamado 12 Horas com Deus, que acontecerá no próximo dia 10 aqui em nossa igreja e nas outras igrejas do distrito.

Aproveitando o gancho, gostaria de lhe fazer um convite pessoal para este programa.

No próximo sábado, 10/03/2012, todas as Igrejas Adventistas do Sétimo Dia estarão empenhadas em um programa de oração, comunhão e jejum para o Senhor. Nosso objetivo é cuidar para que toda a igreja esteja repleta por um período de 12 horas, com uma linda recepção, com uma linda ornamentação e uma programação que possa fazer você se sentir aconchegado e abraçado por todos. Teremos um post sobre este programa em breve, fique de olho nos próximos posts.

Depois destes avisos o pastor fez a dedicação de Samuel Goulart Eghert, um bebê lindo e saudável e que será uma bênção para toda a igreja, temos a certeza disso.

Aproveitando a dedicação de Samuel, o pastor fez o momento da adoração infantil, contando a história de Samuel, personagem bíblico influente e que foi uma bênção nas mãos do Senhor.

Toda dedicação de uma criança é a mais pura certeza de que Deus ama a acredita na humanidade.

A Plataforma foi composta por Claudiomar Bergamim (Lim), Thiago Thom Pelissari, Nilda Goulart e Pr. Álvaro Martinho.

O louvor ficou em cargo de Fernanda Ott, Luzia Goulart e Leidimar Bergamim.

Para iniciarmos o culto, cantamos o Hino 016 – A Deus demos Glória.

 

  O Verso abordado foi o quarto ensinamento de Jesus no sermão do monte, Mateus 5:6 que diz:

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Mateus 5:6.

O pastor nos mostrou que a justiça do verso, não é a mesma justiça que um Juiz impõe no tribunal, não é uma justiça em que poucos têm muito e muitos tem pouco, não é uma justiça de confraternização de pessoa para com pessoa.

Também nos mostrou que a fome, não é fome fisiológica e nem é a fome do homem por seus desejos, pois o homem trabalha, trabalha e trabalha para satisfazer sua fome de desejos por coisas que ficarão aqui neste mundo. O homem trabalha para ter um carro novo e quando consegue, já quer ter outro carro. Da mesma forma a casa, que ao ter, já quer outra. Todos estes esforços não saciam todos os desejos do homem.

O pastor nos contou a história de um homem que o parou um dia e lhe disse que queria tudo no diminutivo… Uma casinha, um carrinho, uma mulherzinha, uma roupinha, uma televisãozinha e etc. O pastor teve de interrompê-lo em algum momento, pois apesar de serem coisas no diminutivo, ainda sim era muitas coisinhas.

Então, o que significa a fome e sede de justiça descritos em Mateus 5:6?

R.: Fome e cede de Cristo, porque Cristo é a Justiça.

A palavra no grego para fome, no verso 6 é Penal que significa muita fome, fome ao extremo, de forma que você deixe tudo, largue tudo para saciar a sua fome.

Usou esta palavra para mostrar justamente isto, fome e cede ardente, como alguém que busca ansiosamente por água e comida.

Jesus se refere as nossas vontades e a falta delas. Assim como não temos fome e cede de vir a igreja, da mesma forma, alguns buscam isso incessantemente.

Mateus 22:37– Este verso tem por palavra chave “todo”. Isso é ter fome e cede com todas as suas forças e energias. Isso é como se fosse a última chance de vida aqui na terra.

Mateus 13:44– A palavra do Senhor é um tesouro, por isso existe a necessidade de encontrar o Senhor, Guarda-lO de forma que Ele seja seu maior tesouro. Como se fosse sua última alternativa, e é.

Porque a Igreja passa fome e cede? Porque ela definha e desanima?

R.:Porque falta Penal, vontade, fome e cede de Justiça. Precisamos vencer tudo que é deste mundo, largar todas as coisas para seguir a Jesus.

Lucas 14: 33– Aqui novamente a palavra “tudo” retorna na mesma força e intensidade. Renunciar o tudo para ser discípulo de Cristo. Só assim comeremos do lindo banquete do Senhor, caso contrário comeremos as migalhas, um pedaço ou uma pequena porção.

Tudo na vida tem um preço: carro novo, tv a cabo, roupas e etc.

Agora qual é o preço para ter Jesus?

R.: O preço é apenas busca-lo, de todo o seu coração e de todo o seu entendimento.

Muitos fazem errado, martirizam-se, recorrem às tradições quando na verdade basta estender a mão e pegar, e querer e permanecer.

Somos tão acomodados, queremos a comida na boca, temos nosso lugar “fixo” nos bancos da igreja, queremos ser visitados pelas pessoas, mas não vistamos ninguém.

Precisamos estender a mão e pegar da água e beber, estender a mão e pegar do pão e comer.

Precisamos comer bem pela manhã, como um rei, no meio dia comer como um príncipe e a noite comer como um mendigo, esta é a dieta de Deus. Porém a Palavra de Deus precisa ser comida sempre, meditada direto e refletida a todo instante.

Será que precisamos estar prestes a morrer para buscar ao Senhor com fome e cede de Justiça?

Se buscarmos a Jesus um pouco a cada dia, nas primeiras horas do dia, então Jesus será o primeiro na sua vida, será a sua prioridade.

Muitos se contentam com a lavagem de porcos que o mundo oferece e que até nós mesmos produzimos.

Na casa do Pai existe abundância e é lá que vamos comer até sermos saciados.

Para ser Feliz em 8 Sábados, somente com Jesus sendo o primeiro em nossas vidas.

Que Deus te abençoe.

Possessão Demoníaca

“Então, regressaram os setenta, possuídos de alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo Teu nome!” – Lucas 10:17.

possessaoTanto a Bíblia quanto o Espírito de Profecia são muito claros em dizer que os poderes satânicos serão cada vez mais vistos em nosso mundo, à medida que se aproxima o retorno de Jesus.

Uma experiência extremamente desagradável, mas que já deve ter sido vivenciada por muitos de nós, é o enfrentamento direto e literal do Inimigo, em um contato com alguém que esteja “possesso”, ou seja, possuído por um espírito maligno.

Nestas situações, é importante entender o que está acontecendo, para podermos ajudar a pessoa a se libertar das garras do Mal.

O Pr. Emilson Reis, emérito professor do UNASP, preparou um excelente artigo sobre este assunto, e acredito que seja de grande importância para todos nós, que queremos ser usados como instrumentos do Senhor para a libertação e salvação de cativos pecadores.

Você pode visualizar o artigo no link abaixo:

De Frente com o Inimigo –
Saiba como prevenir, identificar e lidar com a possessão demoníaca

Fonte: http://prgilsonmedeiros.blogspot.com

           http://redeadventista.com.br/blogs/2012/02/23/possessao-demoniaca-2/