Só Jesus subiu ao Céu?

Se Jesus disse que somente ele subiu aos céus, o que dizer de Elias, Moisés e Enoque?
Se Deus não faz acepção de pessoas, por que Ele cura uns e não cura outros?
Enoque está no Céu?
As crianças sofrerão as pragas mencionadas no Apocalipse?
Haverá distinção sexual no Céu?
Em Atos 19:12 objetos são usados para curar pessoas, como explicar isso?
Qual casamento é válido diante de Deus, o civil ou religioso?
Miguel realmente é Jesus?
O sábado foi instituído somente na criação ou ele sempre existiu e todos o guardam?
A prática da unção com óleo ainda é válida?
MOMENTO DA MENTIRA – Devemos orar pelos mortos?
O que acontece com a alma após a morte?
Por que a blasfêmia contra o Espírito Santo não tem perdão?
Deus faz revelações para trazer sofrimentos?

Exibido em 27/01/2015

Fonte: http://novotempo.com/namiradaverdade

Anúncios

Como destruir seu casamento em 16 passos

1 – Parar de dialogar de maneira aberta e sincera

2 – Alimentar a ira e ser sempre egoísta, rude e violento(a).

3 – Nunca perdoar seu cônjuge, por menores que sejam os erros dele.

4 – Passar o maior tempo possível deprimido(a) e com pensamentos negativos.

5 – Convencer seu cônjuge de que os filhos são muito mais importantes para você que ele.

6 – Ser sempre indolente e recusar-se a fazer sua parte nas tarefas de casa ou do trabalho.

7 – Gastar dinheiro com futilidades e sempre assumir dívidas altas.

8 – Adquirir vícios ou hábitos nocivos e defender seu direito de conviver com eles.

9 – Não se importar com as necessidades sexuais de seu cônjuge, desde que você obtenha o que deseja.

10 – Habituar-se a ver filmes, revistas ou propagandas com cenas de sexo explícito e comparar com seu marido (esposa) as imagens e, acima de tudo, mencionar a outras pessoas quem você acha mais atraente.

11 – Ser firme com seu marido (esposa) e recusar-se a dizer: “Desculpe-me”, “Perdoe-me” ou “Você está perdoado(a)”.

12 – Tirar Deus e seu cônjuge da lista de prioridades.

13 – Ameaçar pedir divórcio todas as vezes que surgir um conflito entre vocês.

14 – Ter um relacionamento extraconjugal ou alimentar uma paixão por outra pessoa que não seja seu marido (esposa).

15 – Sair de casa e não tentar reconciliar as diferenças.

16 – Desistir de Deus e recusar-se a acreditar que Ele é um Deus de milagres, com o poder de restaurar o amor e a esperança.

Fonte: http://esperanca.com.br/

O Deus dos Anos Perdidos

Vou compensá-los pelos anos de colheitas que os gafanhotos destruíram: o gafanhoto peregrino, o gafanhoto devastador, o gafanhoto devorador e o gafanhoto cortador, o Meu grande exército que enviei contra vocês. Joel 2:25

arrependimento Observei minha agenda e gelei. Ela indicava que dali a poucos instantes um homem que havia me atacado verbalmente em pessoa e por vídeo viria conversar comigo. Anos antes, esse homem havia iniciado sua carreira com o objetivo de servir como ministro adventista, mas logo começou a trilhar um caminho independente em que lançava críticas à igreja e aos líderes. Fiquei imaginando o que ele queria comigo.

Ele chegou ao meu escritório acompanhado da esposa. Dentro de instantes estava implorando meu perdão com súplicas sinceras e em meio a lágrimas. Eu lhe disse que o perdoava e ele começou a contar como o Senhor havia interferido em sua vida para que ele mudasse radicalmente de atitude.

Aos poucos partilhou a história de sua vida, como ingressou no ministério, a razão de ter saído, como construiu um grande ministério particular com forte apoio financeiro. Agora havia perdido tudo. A decisão de parar de criticar os outros resultou na perda de seus adeptos e do dinheiro que lhe ofereciam. Próximo à meia-idade, viu sua vida ruir, suas esperanças serem destruídas.

Será que ainda havia lugar para ele no ministério? Ele desejava saber. Assegurei-lhe que Deus sempre nos concede uma segunda chance, que Ele é capaz de extrair o bem de situações aparentemente desesperadoras. Adverti-o a contentar-se com qualquer posição, por mais humilde que fosse, e a aceitar qualquer responsabilidade que lhe fosse oferecida, mesmo que pequena, sem considerar a recompensa monetária.

Durante aquela conversa maravilhosa e emocionante, lhe mostrei as palavras encontradas no livro de Joel: “Vou compensá-los pelos anos de colheitas que os gafanhotos destruíram” (Jl 2:25). Disse-lhe que ele devia reclamar a promessa de um novo começo; que, apesar das oportunidades passadas terem sido perdidas para sempre, Deus poderia conceder-lhe novas oportunidades. Deus ainda podia fazer algo lindo nos anos vindouros de sua vida.

As palavras do texto ecoaram em seu ser. Ele e a esposa saíram com esperança. Por muitos meses, ele se contentou com uma posição humilde. Até que chegou o dia em que recebeu o chamado para pastorear duas igrejas pequenas. Que alegria! Que cumprimento da Palavra de Deus, que põe de lado os anos perdidos e nos concede um novo começo!

Fonte: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2012/frmd2012.html