Dom de cura: como saber se é de Deus ou não?

A Palavra de Deus apresenta o dom da cura como sendo uma possibilidade de Deus e de Satanás. Jesus realizou muitos milagres de cura. Pedro, após ter alcançado a cura do coxo junto à porta chamada Formosa, afirmou claramente que aquele ato foi realizado pelo poder de Cristo Jesus e não pela sua capacidade (Atos 3:12-16).

Assim, em toda a Escritura, a possibilidade de cura é alcançada pelo poder de Deus. Os instrumentos usados para tal milagre podem ser profetas, apóstolos ou alguém designado por Deus. A ciência e os médicos também podem ser usados hoje como instrumentos nas mãos de Deus para a operação de curas. As Escrituras não limitam a possibilidade de cura a uma determinada época ou período. Os milagres dão evidência do poder de Deus, mas não nos esqueçamos da contrafação satânica. Vejamos como isso acontece.

O apóstolo Paulo descreve a ação fraudulenta de Satanás em 2 Coríntios 11:13-15. Ele se disfarça em anjo de luz e assim também os seus apóstolos. O livro do Apocalipse apresenta os sinais e maravilhas da besta que representa Satanás e o Anticristo (Apocalipse 13:13 e 14, 16:13 e 14). Em seu sermão profético, Jesus evidencia a ação devastadora dos falsos Cristos e falsos profetas enganando até os escolhidos (Mateus 24:24).

Em Mateus 7:22,23 Jesus relata a decepção que muitos supostos cristãos experimentarão, por ocasião da Sua volta. Segundo este relato, alguns expulsaram demônios, outros profetizaram e outros fizeram muitos “milagres”. Mas para o horror deles, Jesus dirá: “Apartai-vos de Mim, não vos conheço”.

Como saber se a cura foi efetuada por Deus ou Satanás?

O próprio Jesus responde (Mateus 7:21-23). A cura dá evidências da ação de um poder satânico ou divino. Ninguém deve acreditar num pregador ou apóstolo só porque realiza milagres. Se a sua vida e os seus ensinos não estiverem de acordo com a doutrina bíblica de nada servirão tais milagres (Isaías 8:19 e 20). A cura não prova a verdade e sim a verdade (bíblica) é que prova a cura.

Há inúmeras religiões que falam muito de fé, mas se não houver cura, se não houver enriquecimento, não há motivação para seguir a Cristo. Será isto fé ou barganha? Se não houver compensação não há relacionamento? O apóstolo Paulo pediu para Deus curá-lo de sua enfermidade, mas Deus não o curou. Quer dizer então que o apóstolo Paulo não tinha fé? Cristo disse que seria melhor perder um olho, um braço ou a própria vida, do que perder a vida eterna. Em Isaias 35:5 e 6 o profeta fala do tempo quando Deus virá restaurar a Terra, então os cegos, coxos, mudos e surdos serão curados pelo poder do Seu amor. Portanto, Deus nunca prometeu curar todos os que acreditam nEle, mas prometeu levá-los para o Seu lar onde não haverá mais morte nem dor (Apocalipse 21:1-4).

Nos primórdios da era cristã, Deus deu à igreja o dom da cura e outros dons, para dar crédito à pregação das boas-novas da salvação provida por um Deus que foi morto por simples mortais. Isto naquela época era loucura para os incrédulos. Os dons dados à Igreja eram para ser evidências do poder de Deus na vida de Seus humildes servos.

Note que a ênfase da pregação do evangelho que revolucionou o mundo não era baseada no dom da cura, mas no amor de Jesus demonstrado na cruz do calvário. Será que não havia doentes naquele tempo? Com certeza muitos! Mas os discípulos jamais usaram a cura como um meio de propagar suas crenças. As pessoas não estavam interessadas na cura, mas na nova vida oferecida por Cristo.

Satanás tem deturpado tudo o que Deus criou para a felicidade eterna do homem: o sexo, a música, a dança, os divertimentos, os alimentos, os dons espirituais, etc… Tanto é que Cristo advertiu-nos a respeito dos falsos cristos, falsos profetas, falsos milagres, etc. Hoje há muita exploração comercial e espiritual em torno das curas, onde se vê charlatanismo, truques baratos, autossugestão, e manifestações demoníacas. Graças a Deus que nossa salvação não depende de curas e milagres, mas sim da pessoa de Jesus. Ele é o único nome para a nossa salvação (Atos 4:12). Cremos que Jesus pode e realiza milagres e curas maravilhosas, mas não é por isso que cremos nEle. Cremos nEle porque na cruz Ele demonstrou ser o nosso amorável Salvador!

Cremos que a atitude mais correta é seguir os conselhos da Palavra de Deus, onde com segurança encontramos luz para o nosso caminho durante a jornada neste mundo coberto pelas trevas do egoísmo. A Bíblia diz: “Examinai tudo e retende o que é bom; Nem todo o que diz Senhor entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade do Meu pai”.

Fonte: http://esperanca.com.br

Anúncios

Tempo de milagres e oportunidades

Estou seguro de que você já ouviu falar muito sobre o projeto “A Grande Esperança”. É o movimento de evangelismo integrado para 2012 e, ao mesmo tempo, nossa maior campanha missionária. Durante o projeto vamos manter a imagem da volta de Cristo em nossas igrejas, escritórios, colégios, universidades, hospitais e demais instituições, além de divulgá-la em camisetas, carros e outdoors. Mais do que isso, porém, desejamos que “A Grande Esperança” não seja apenas um projeto ou uma imagem, mas uma realidade em nossos dias.

Cada dia tenho mais confiança de que este tempo está chegando. Basta ver como o Espírito Santo está agindo poderosamente para que a igreja seja reavivada, comprometida e disposta a se levantar e cumprir a missão. Isso está acontecendo como nunca antes. Você não poder ficar passivo, imaginando que é apenas mais uma campanha. É preciso entender o significado profético de todo este movimento. Entregar um livro em cada casa, alcançando 50 milhões apenas em 2012 e, chegando ao total de 70 milhões até 2013, é um milagre de Deus. Em todos os nossos sonhos mais otimistas, nunca imaginamos que isso aconteceria. Parecia grande demais para nós. Mas o Espírito Santo moveu a igreja e os resultados têm sido maiores do que qualquer um de nós poderia prever. Isso não é obra do acaso, nem de alguma promoção especial, empolgante ou criativa. É a chuva serôdia, prometida para nossos dias.

Observe: a grande maioria da igreja unida e envolvida; membros e obreiros fazendo um sacrifício especial para colocar um livro em cada casa na Divisão Sul-Americana (DSA) e o mesmo acontecendo em diferentes lugares do mundo. E não será um livro qualquer, mas A Grande Esperança, uma seleção de 11 capítulos do livro O Grande Conflito, que contém a mensagem clara para nossos dias. Tudo isso prepara um cenário de milagres e oportunidades que não podemos deixar passar.

Fico emocionado quando penso que este momento já estava profetizado por Ellen G. White. Uma parte especial dessa profecia está diante de nós. Ela disse: “Em visões da noite, passaram perante mim representações de um grande movimento reformatório entre o povo de Deus. Muitos estavam louvando a Deus. Os enfermos eram curados, e outros milagres eram operados. Viu-se um espírito de intercessão como se manifestou antes do grande dia de Pentecostes. Viam-se centenas e milhares visitando famílias e abrindo perante elas a Palavra de Deus. Os corações eram convencidos pelo poder do Espírito Santo, e manifestava-se um espírito de genuína conversão. Portas se abriam por toda parte para a proclamação da verdade. O mundo parecia iluminado pela influência celestial. Grandes bênçãos eram recebidas pelo fiel e humilde povo de Deus. Ouvi vozes de ações de graças e louvor, e parecia haver uma reforma como a que testemunhamos em 1844” (Testemunhos Seletos, v. 3, p. 345).

Além de todo esse movimento, o mundo ainda está voltado para as indicações do Calendário Maia que apontam para a mudança de um ciclo da humanidade em 21 de dezembro deste ano. Isso tem sido interpretado por muitos como o fim do mundo. Vamos viver tempos de mensagens, filmes, debates e pregações falando de catástrofes. Em contraste, vamos apresentar uma mensagem de esperança: a vinda de Jesus.

Para isso, é fundamental que você, ancião, esteja na linha de frente, conhecendo todo o projeto “A Grande Esperança”, apoiando seu pastor e mobilizando a igreja. Você não pode deixar que esses milagres e oportunidades sejam vistos apenas em outras igrejas e a sua fi que de fora!

A Grande Esperança - imagemAcompanhe, ore, promova e planeje participar destas seis diferentes iniciativas:

1. Reavivamento e Reforma. Nosso desafio é começar levando cada membro da igreja a buscar a Deus na primeira hora do dia, clamando por reavivamento e reforma, e também pelo batismo do Espírito Santo. Vamos fazer isso através do Seminário de Enriquecimento Espiritual (SEE) e Jornada Espiritual. Estaremos envolvendo a igreja, também, em um dia especial de jejum e oração, em 10 de março. Nesse dia, o sermão será pregado via satélite pelo pastor Ted Wilson, presidente da igreja mundial.

2. Impacto Esperança. Precisamos desafiar a igreja, em toda a DSA, a distribuir, pelo menos 25 milhões de livros A Grande Esperança em um único dia – 24 de março. Pela primeira vez, vamos entregar um livro em cada casa, com um mapa na mão, para estarmos seguros de que ninguém ficou de fora. Ao terminar o dia, um encontro de celebração deverá comemorar as bênçãos recebidas. Precisamos aproveitar a campanha para conectar o livro A Grande Esperança com O Grande Conflito que é a obra completa e estará a venda com valores especiais. Também vamos utilizar a internet para facilitar o acesso aos livros e oferecer variadas possibilidades. Queremos distribuir 10 milhões de livros online. Acesse http://www.esperanca.com.br e http://www.esperanzaweb.com para conhecer mais. Além de encontrar os livros em texto, o áudio do livro A Grande Esperança poderá ser baixado para leitura em tablets e smartphones. No dia 24 de março também será lançado o projeto “Vida por Vidas”, levando nossos jovens a servir à comunidade com a doação de sangue e medula óssea.

3. Amigos da Esperança. Precisamos motivar cada membro a convidar um amigo para o dia dos “Amigos da Esperança”, com um culto especial na igreja em 31 de março. Esse programa acontecerá uma semana após o Impacto Esperança e será o sábado inicial da semana santa. As campanhas precisam estar conectadas para que haja continuidade e uma colheita especial.

4. Semana Santa. Será realizada entre os dias 1º e 8 de abril, começando preferencialmente nos lares e encerrando de sexta a domingo na igreja. Dessa forma poderemos envolver mais amigos. A continuidade de todo esse movimento precisa acontecer através dos pequenos grupos, classes bíblicas e duplas missionárias.

5. Evangelismo via satélite. Será o fechamento do projeto e terá como pregador o pastor Alejandro Bullón. Em espanhol, o programa será realizado a partir de Lima, Peru, entre os dias 3 e 10 de novembro; e, em português, de São Paulo, entre os dias 17 e 24 de novembro.

6. Plantio de novas igrejas. Queremos comprometer cada distrito pastoral a continuar plantando uma igreja durante o ano.

Participe de cada passo de todo esse movimento. Pelo poder do Espírito Santo vamos aproveitar este tempo de milagres e oportunidades, entregando um livro em cada casa e, então, vamos para nossa verdadeira casa.

erton

 

 

 

 

Erton Köhler

Presidente da Divisão Sul-Americana