O “cair no espírito” do demônio

Introdução

A irmã batista Eliane Faria, telespectadora do programa “Na Mira da Verdade”, enviou-me um questionamento que creio ser a dúvida de muitos internautas. Ela pediu auxílio para compreender 1 Samuel 19:20-24, texto que apresenta Saul em transe profético e que supostamente apoia o “cair no Espírito” nos cultos públicos. Leiamos os versículos na Nova Versão Internacional:

“Então Saul enviou alguns homens para capturá-lo. Todavia, quando viram um grupo de profetas profetizando, dirigidos por Samuel, o Espírito de Deus apoderou-se dos mensageiros de Saul, e eles também entraram em transe. Contaram isso a Saul, e ele enviou mais mensageiros, e estes também entraram em transe. Depois mandou um terceiro grupo e eles também entraram em transe. Finalmente, ele mesmo foi para Ramá. Chegando à grande cisterna do lugar chamado Seco, perguntou onde estavam Samuel e Davi. E lhe responderam: “Em Naiote de Ramá” Então Saul foi para lá. Entretanto, o Espírito de Deus apoderou-se dele, e ele foi andando pelo caminho em transe, até chegar a Naiote. Despindo-se de suas roupas, também profetizou na presença de Samuel, e, despido, ficou deitado todo aquele dia e toda aquela noite. Por isso, o povo diz: “Está Saul também entre os profetas?” (1Sm 19:20-24)

Alguns irmãos tentam justificar o “cair no Espírito” com essa experiência de Saul. Todavia, o contexto do evento e outros textos bíblicos paralelos nos provam que o “cair no Espírito” não é um fenômeno de origem divina e, portanto, deve ser abandonado, antes que a vida espiritual do cristão seja ainda mais comprometida.

A seguir, veja algumas das razões para duvidarmos que 1 Samuel 19:20-24 esteja dando apoio ao “cair” sobre a influência do Espírito Santo.

 

Provas de que o Espírito Santo não joga as pessoas no chão

1º: O contexto nos mostra que Saul não estava participando de nenhum culto de adoração, mas, sendo impressionado por Deus para mudar de vida.

Saul queria matar Davi por causa da inveja e por receio de perder o seu “cargo” de rei (1Sm 19:1-17). O então rei de Israel estava indo longe demais e, através da capacidade de profetizar (dada também aos mensageiros que ele enviou – 1Sm 19:20, 21), “recebeu uma evidência clara de que Deus estava protegendo Davi”. É bem provável que “[…] ali o Espírito Santo tenha insistido com Saul pessoalmente pela última vez” (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2. Tatuí, São Paulo: Casa Publicadora Brasileira, 2012, p. 589. Ver 1Sm 19:24).

O referido comentário também explica que “é possível que tenha saído de seus lábios [de Saul, enquanto profetizava sob a influência do Espírito] não só uma confissão da justiça da causa de Davi, mas também a condenação de seus atos […]”.

2º: Ao Espírito Santo apoderar-se de Saul, ele prosseguiu caminhando até chegar a Ramá (cidade localizada na região montanhosa de Efraim, a cerca de 8km de Jerusalém), onde estavam os demais mensageiros que também profetizavam (1Sm 19:23). Essa capacidade de caminhar e chegar a um local específico nos mostra que, apesar de Saul estar em “transe”, detinha capacidade autônoma, de modo que a presença do Espírito não tirou a individualidade do rei.

3º: O verso 24 do capítulo 19 diz apenas que ele “ficou deitado todo aquele dia e toda aquela noite” e não dá a entender que, para isso, ele tenha “sido jogado no chão” ou tido atitudes excêntricas, do mesmo modo que vários irmãos que alegam estar sobre a influência do Espírito sobre tais circunstâncias.

4º: O Novo Testamento, que mostra a atuação do Espírito de maneira ainda mais clara, nos ensina que a Terceira Pessoa da Trindade não gosta das manifestações pentecostais pós-modernas que envolvem (muitas delas) gritos, barulho, desordem e ações excêntricas. Veja:

a) Efésios 4:30, 31 afirma que o Espírito é entristecido com a gritaria;

b) 1 Coríntios 14:33 ensina que “Deus não é Deus de desordem, mas de paz. Como em todas as congregações dos santos”, ou seja: até mesmo nas igrejas pentecostais Ele quer ser um Deus de ordem e de paz.

c) 1 Coríntios 14:40 mostra que o culto que agrada ao Senhor “deve ser feito com decência e ordem”.

d) Gálatas 5:22, 23 deixa claro que, no momento em que uma pessoa é tomada pelo Espírito, ela revela em sua vida nove qualidades de caráter, entre elas: paz (v. 22), mansidão e domínio próprio(v. 23).

Essas características do caráter do Espírito Santo nos impedem de aceitar que as manifestações em muitos (não todos!) meios pentecostais sejam realmente de origem divina. Se em um culto, mesmo que o nome de Deus seja pronunciado (Conferir Mateus 7:21-23), as pessoas manifestam atitudes e comportamentos diferentes daqueles que o Espírito divino possui, conforme vimos nos textos acima, isso é suficiente para provar-nos que “outro espírito” é quem está por trás de tais fenômenos.

5º: Marcos 9:17 e 18 diz que o espírito que faz as pessoas caírem é o espírito do demônio. Veja que texto forte e, ao mesmo tempo, esclarecedor:

“Um homem, no meio da multidão, respondeu: ‘Mestre, eu te trouxe o meu filho, que está com um espíritoque o impede de falar. Onde quer que o apanhe, joga-o no chão. Ele espuma pela boca, range os dentes e fica rígido. Pedi aos teus discípulos que expulsassem o espírito, mas eles não conseguiram’’

“Mas o fruto do Espírito é… mansidão e domínio próprio” (Gl 5:22, 23)

O Espírito Santo sempre quer erguer o crente e nunca jogá-lo no chão. Veja que, ao Cristo expulsar o demônio do menino (leia Marcos 9:14-29), o Salvador “tomou-o pela mão e o levantou, e ele ficou em pé”(v. 27).

Portanto, não há dúvidas: o “cair no Espírito”, mesmo fazendo parte da vida de muitos cristãos sinceros e verdadeiros filhos de Deus, é uma manifestação demoníaca, com o objetivo de confundir as pessoas e apresentá-las uma imagem distorcida do divino e manso Espírito Santo.

 

O inimigo conhece o grande potencial dos irmãos pentecostais

O inimigo de Deus sabe que muitos amigos pentecostais são candidatos à vida eterna e salvos em Cristo. Tem ciência do quanto o Espírito Santo os usa para relembrar aos demais cristãos sobre a importância dos dons espirituais para a edificação da igreja e conclusão da obra de evangelização mundial.

Por isso, através de manifestações sobrenaturais que dão uma sensação aparentemente agradável aos que são possuídos por tal espírito, o Diabo quer impedi-los de terem uma experiência verdadeira com o Espírito. O inimigo, através de tal contrafação do Espírito, quer impedir que os irmãos aprendam a apreciar um culto tranquilo, racional (Rm 12:1, 2) e que tenha a emoção na medida certa (Fp 4:4), do jeito certo (1Co 14:33, 40).

Muito cuidado, irmãos. Uma das principais obras satânicas nesses últimos dias é contrafazer a obra do Espírito Santo. Ele sabe que o Espírito é o “outro consolador” divino (Jo 14:16), que glorifica a Jesus Cristo e o plano de salvação (Jo 16:14), nos convence “do pecado, da justiça e do juízo” (Jo 16:8), guia-nos a “toda a verdade” (Jo 16:13) e santifica a nossa vida (Rm 6:23). O Diabo sabe que nesse processo de santificação o Espírito nos torna parecidos com Jesus através do novo nascimento (Jo 3:1-8) e “escreve” os princípios morais da Lei de Deus em nosso coração (Hb 8:10).

Por isso, não é do interesse do demônio que as pessoas tenham um conhecimento pleno (e correto) da Pessoa e da Obra do Espírito Santo. Afinal, através de um falso espírito santo, ele pode desencaminhar muitos e levá-los a seguir pelo caminho largo, que leva à perdição (Mt 7:13, 14).

O inimigo não vai atrás de quem já é dele. Por isso, meu irmão pentecostal, se você “cai no espírito”, peça a Deus discernimento e coloque a Revelação bíblica acima dos seus sentimentos. Leia esse artigo com oração e mente disposta (Jr 15:16) a conhecer cada vez mais esse Deus que tanto lhe ama (Jr 31:3). Submeta-se a Ele (Tg 4:7) e preste-Lhe um culto alegre (Fp 4:4) e racional ao mesmo tempo (Rm 12:1, 2), para que sua mente receba todas as verdades que o Espírito Santo quer lhe comunicar para sua felicidade presente e eterna:

“Quer você se volte para a direita quer para a esquerda, uma voz atrás de você lhe dirá: ‘Este é o caminho; siga-o’” (Is 30:21).

Um abraço do amigo e irmão em Cristo,

 

Leandro Quadros

[www.leandroquadros.com.br]

Responsável Pelo Meu Irmão

Então o Senhor perguntou a Caim: “Onde está seu irmão Abel?” Respondeu ele: “Não sei; sou eu o responsável por meu irmão?”  Gênesis 4:9 NVI

ImagemUm dos mais trágicos sinais dos tempos é o insensível desrespeito pela vida humana. Homens e mulheres se preocupam apenas consigo mesmos. Pisam sobre os outros, procurando “levar vantagem” não importa a que custo. Crimes violentos – assaltos, assassinatos, estupros – proliferam. Muitas cidades estão se tornando modernas selvas, onde a anarquia e a força bruta imperam.

A vida no mundo é como uma pirâmide. Quanto mais alto uma pessoa sobe, menos pessoas estão acima dela. Portanto alguns lutam e se esforçam, subindo sobre os outros, a fim de estarem acima dos demais.

Cristo Jesus, no entanto, inverte a pirâmide. Seu sistema de valores é completamente oposto ao sistema do mundo. No reino de Jesus vivemos não para subir sobre os outros, mas para sustentá-los nos ombros. “Não será assim entre vocês. Ao contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo, e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo; como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mateus 20:26-28). E assim no ápice desta pirâmide invertida encontramos um homem, Jesus Cristo. Ao invés de impor Seu Senhorio sobre nós, Ele está carregando toda a raça humana sobre seus ombros, levando nossos seus pecados na cruz da redenção.

Sou eu responsável pelo meu irmão? A desculpa insolente de Caim é respondida por Jesus: Sim, Caim, você é responsável por seu irmão. Assim como eu fiz a humanidade de “um só homem” (Atos 17:26 NTLH) e assim como eu morri por todos como o novo Adão (Romanos 5:12-21), de igual maneira todos agora são um em Mim.

Porque Jesus morreu por cada pessoa, cada Abel é nosso irmão e somos responsáveis por seu bem estar.

Fonte: http://www.esperanca.com.br/espiritualidade/reflexoes/jesus-2/responsavel-pelo-meu-irmao/

O UFC e as crianças

mma Existe uma coisa que me assusta nesse movimento de popularização do MMA no Brasil. Não importa se o esporte (?!) do momento, cheio de brasileiros campeões, faz sucesso em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Manaus ou alhures. Ele está em alta no mundo inteiro. Desde que sejam maiores de idade e devidamente vacinados, cada um com seus problemas. Mas quando chega às crianças, a luz vermelha acende. Ontem, durante a transmissão do UFC na Globo, um pequeno garoto, na faixa dos 6 ou 7 anos de idade, recebeu uma atenção generosa da transmissão. Devidamente “equipado” para o evento, o menino aparecia com luvas idênticas às usadas pelos lutadores, além de um traje semelhante a um quimono. O sorriso azulado do menino revelou que até mesmo um protetor bucal ele fez questão de usar.
O pequeno “gladiador do novo milênio”, alcunha inventada por Galvão Bueno, se esforçou para copiar até as carrancas e os socos no ar dados pelos profissionais do octógono. A transmissão deve ter realmente apreciado a cena, pois ela foi reprisada poucos minutos depois, em câmera lenta.
Além dele, contei pelo menos outros dois garotos com menos de 10 anos de idade que foram filmados nas arquibancadas. Crianças que, pelo horário, suponho, não deveriam estar ali.
Sou completamente leigo acerca das leis que regem sobre isso, mas basta um mínimo de senso para saber que aquele ambiente não é o mais adequado à infância, assistindo uma pancadaria gratuita, prato principal do UFC.
Quando a pessoa já tem um mínimo de caráter formado (seja bom ou mal), as escolhas são feitas com naturalidade, há discernimento suficiente para você ver uma briga e simplesmente não sair arrebentando qualquer um por aí – imagino que este seja o caso dos apreciadores de artes marciais, não sei. Geralmente, é na adolescência que passamos por esse processo de discernir o que é certo do que é errado, o que é de bom grado e o que é pura sacanagem. Mas quando ainda vivemos a infância, temos a tendência de imitar quem nos rodeia.
Essas crianças não têm a menor ideia do que estão fazendo. Estão apenas copiando nossos movimentos, mostrando, com toda aquela inocência da infância, como somos ridículos.
(Fábio Monteiro, UOL)
Nota: É absurdo qualquer um assistir a essa rinha humana (a de galos é proibida…), quanto mais crianças. Mas o pior é saber que há cristãos, pretensos seguidores do pacifista Jesus de Nazaré, que se deleitam em ver um homem espancar outro até lhe arrancar sangue. Isso, sem dúvida, é parte do cumprimento da profecia de Jesus segundo a qual, por se multiplicar o pecado, no fim dos tempos, o amor de muitos esfriará (Mt 24:12). Só pode ser isso.
Nas férias em Santa Catarina, li algumas edições do Diário Catarinense e fiquei feliz em ver que há mais pessoas inconformadas com essa invasão de violência nos ringues e nas telas. No dia 28/12, em sua coluna, Ancelmo Gois tratou do tema: “Veja aqui [foto abaixo] algumas caras deformadas no MMA, publicadas no UOL. Quem chamou a atenção para essa galeria de horrores foi mestre Zuenir Ventura, que, a exemplo deste escriba, não entende o porquê de tanta celebração com estes sangrentos gladiadores do século 21.”
Parabéns ao Ancelmo Gois pela coragem, especialmente levando em conta que o Diário pertence à RBS, afiliada da Globo (promotora do UFC) no Sul do Brasil.[MB]

_ufc Fonte: http://www.criacionismo.com.br/2012/01/o-ufc-e-as-criancas.html

(08 de 08) Como ser feliz em 8 sábados? – Pr. Álvaro Martinho

martires-coliseu Chegamos ao fim da série de 8 sábados, mas o sentimento não é de tristeza e sim de alegria, afinal de contas, aprendemos todos os passos para sermos bem-aventurados. Agora, na condição de pecadores, precisamos dobrar nossos joelhos e pedir ao Senhor Deus do Universo que aumente nossa fé, confiança, esperança a ponto de que ele transforme nosso caráter e que assim sejamos homens e mulheres bem-aventurados.

“Bem-aventurados os perseguidos por causa da Justiça, porque deles é o Reino dos Céus.” Mateus 5: 10-12

A plataforma foi composta por Leidimar Bergamim, Claudiomar Bergamim, Pr. Álvaro Martinho, Marinete Pereira Buss e Alan Capiche.

A adoração infantil ficou com Silvana Baldon.

Com a música especial, estava nosso querido jovem Vitor Goese que agora está estudando no EDESSA e veio nos fazer uma visita já que veio para casa ver os seus pais.

Ele cantou a música “Prossiga” do cantor Ronaldo Arco que você pode ver e escutar no vídeo logo abaixo.

 

  O Hino Inicial foi o do Hinário Adventista Nº 004 – Louvor ao Trino Deus

 

Ao iniciar o sermão, o pastor nos lembrou de que esta série esta acabando, mas ele já tem tudo preparado para que no próximo sábado já estejamos estudando mais um tema muito interessante que tem o título de “Os 12 Livros Esquecidos da Bíblia”. São os livros dos profetas menores e que ao longo do tempo foram perdendo o valor. Precisamos conhecer estes livros, porque neles está contida a palavra de Deus.

O pastor deu prosseguimento ao sermão dizendo que Jesus apresentou o Sermão do Monte logo no início de seu ministério, porque ele queria alertar aos seus seguidores sobre as coisas pelas quais todos sofreriam por amor de Seu nome.

A perseguição é uma certeza na vida do crente, desde a fundação do mundo.

Antes da Coroa tem sempre uma Cruz.

A sétima bem-aventurança nos ensina a seremos pacificadores, porém a oitava nos diz que seremos causadores de problemas ou causadores de perseguições. O mundo não ama os que cumprem as Bem-aventuranças, apesar de que deveria ser o oposto.

II Timóteo 3: 18 – Todos os que vivem piedosamente em Cristo, certamente serão perseguidos.

Talvez hoje não sejamos tão perseguidos pelo mundo, porque talvez não somos tão distintos dele ou por não vivermos piedosamente em Cristo.

Precisamos perseguir a santificação, ir atrás dela. Somente assim que esta profecia de Jesus se cumprirá em nossas vidas.

No sentido bíblico, a perseguição é insulto, zombaria, falta de entendimento e aceitação.

Da mesma forma foi com Jesus. Zombado e insultado por todos desde o início até na cruz por um dos ladrões crucificados com Ele.

Seremos bem-aventurados até quando mentindo, nos maltratarem ou nos acusarem.

Os Grandes nomes e heróis bíblicos também foram perseguidos, por não adorar ao Imperador Romano e por se reunir na Santa Ceia foram até chamados de canibais porque diziam estar comendo e bebendo o corpo e o sangue de Cristo.

CLIQUE AQUI e veja como os 12 Apóstolos de Cristo morreram.

No Brasil desfrutamos de liberdade religiosa, porém não podemos nos acomodar com esta tal liberdade. Mas também precisamos orar por nossos irmãos que estão em países que não tem a mesma liberdade religiosa.

Precisamos aguardar estas perseguições todos os dias, para estarmos preparados quando sofrermos por Cristo.

Não são bem-aventurados os que são perseguidos por sua má conduta, por contas atrasadas, por mau testemunho, pelos maus costumes, pela falta de educação ou maus tratos com o próximo.

A verdadeira perseguição é a que está descrita nos versos 10 e 11. Aquele que ama a Cristo, que busca ser como Cristo, que guardam os mandamentos de Deus (Apocalipse 12:17).

Seremos criticados até por questões que hoje o mundo ensina como verdade. Exemplo: Condenar homossexualismo, o divórcio, guardar o sábado. Talvez você seja acusado de homofobia, masoquismo ou até será chamado de preguiçoso.

Existe uma maneira de não ser perseguido?

R: Basta ser como o mundo, que tudo aceita, que tudo faz ao contrário da Palavra de Deus. Quanto mais parecido formos com o mundo, mais aplaudidos seremos por Satanás.

Qual deve ser nossa atitude quando estivermos sendo perseguidos?

R: Regozijai-vos e Exultai-vos. Não podemos ficar desesperados, tristes e com medo. Precisamos ficar felizes, esperançosos e com a certeza de que isso é para honra e glória de Deus.

Paulo e Silas, presos na cadeia, preso pelos tornozelos, ainda sim cantou e adorou a Deus.

Deus quer dar forças a seus servos fiéis no meio da perseguição.

3 Razões para alegrar-se em meio a perseguição.

1ª. Porque dos perseguidos é o Reino dos Céus.

2ª. Porque Grande é a Recompensa/Galardão nos Céus.

3ª. Porque até mesmo os profetas foram perseguidos, como Jeremias que foi serrado ao meio, Noé que foi zombado por construir a Arca, entre muitos outros. Alguns foram xingados, presos, martirizados.

Quando nos estivermos na mesma situação destes Grandes Homens, perceberemos que o Dia do Senhor está chegando e estaremos bem perto de entrar no Reino dos Céus.

João Crisóstomo foi chamado até o Imperador Romano e seria expulso se não parasse de pregar sobre Jesus. Porém diante do Rei ele disse: “Majestade, tu não podes me prender, porque o mundo é a casa do meu Pai e onde quer que me prenda lá encontrarei com meu Pai.”, “Majestade, tudo também podes levar meus tesouros, porque meu verdadeiro tesouro está no Céu.”, “Majestade, o senhor pode tirar todos os que me defendem, porque eu tenho um advogado no céu que é fiel e justo para me salvar, Jesus Cristo, O Justo”.

Finalmente Crisóstomo foi mandado embora para as montanhas da Arménia e acabou morrendo no caminho.

Que passamos a ser estes verdadeiros Cristãos que a Bíblia quer que sejamos.

Que Deus nos abençoe e aumente nossa fé de maneira que no dia da perseguição possamos ser aquele povo Bem-aventurado que o Senhor tanto deseja que esteja no Céu.

Para finalizar, cantamos o Hino do Hinário Adventista Nº 300 – Herdeiro do Reino

 

Como morreram os 12 Apóstolos de Jesus?

apóstolos 1 . André crucificado.

Padroeiro da Escócia e da Rússia.  Irmão de Simão Pedro.

Foi o primeiro dos apóstolos a receber o título de Pescador de Homens e a recrutar novos discípulos para o Mestre.

Após a ascensão de Cristo, a Escritura cala por completo a seu respeito.

Foi o fundador das igrejas na Acaia onde, pelo que consta, foi crucificado numa cruz em forma de X.

2 . Bartolomeu surrado, esfolado e, depois, crucificado.

São João o chama de Natanael ou Nataniel que, em hebraico ,  significa   Deus   (El) deu (nathan).  Nasceu em Cana , da Galileia  e foi apresentado a Jesus pelo apóstolo

Filipe. Pregou na Índia, onde levou muitos homens á conversão.

3 . Tiago Menor (filho de Alfeu) apedrejado até a morte.

Foi bispo de Jerusalém após o martírio de Tiago Maior, no ano 42 e morreu no em 61 ou 62.

4. Tiago Maior ( filho de Zebedeu ) decapitado.

Foi  o  primeiro  evangelizador  da Espanha. Era primo consangüíneo de Cristo.

5. João morreu por velhice.

Irmão de Tiago Maior , era  também  pescador  e  foi  o  autor  do  4º  evangelho  e do Apocalipse.

Segundo a tradição, sob o imperador Domiciano , foi colocado dentro de uma caldeira com  óleo  fervendo , mas  saiu  ileso. Em  Patmos ,  para onde  foi  degradado , escreveu o Apocalise e, segundo consta, viveu e morreu em Éfeso, onde foi sepultado.

6. Judas (não o Iscariotes) foi apedrejado até a morte.

Judas Tadeu nasceu na Galiléia. Seu pai era irmão de São José e  sua  mãe  era   prima-irmã  de  Maria, a mãe de Jesus.  Pregou  o  Evangelho  na  Judéia ,  em  Samaria , na Iduméia e na Mesopotâmia. Segundo  alguns  textos  apócrifos, teria sido êle o  esposo nas núpcias de Caná (bodas de Caná), o que explicaria a presença de Maria e de  Jesus naquele contexto.

7. Mateus perfurado com lanças até a morte.

Também chamado Levi, era coletor de impostos e foi o autor do 1º evangelho.   Outras fontes referem que Mateus teria sido martirizado por apedrejamento,queimado  e  decapitado na Etiópia.

8. Pedro crucificado de cabeça para baixo.

Era chamado Simão Bar Jonas ( Simão ,filho de Jonas ), mas teve o seu  nome  trocado por  Jesus para Pedro,  por  ter sido escolhido como chefe da cristandade aqui  na  terra.

Era natural de Betsaida , irmão de André , e  selou  o  seu  apostolado  com   o   próprio sangue, pois foi martirizado e, a seu próprio pedido, crucificado de cabeça  para  baixo, por não se julgar digno de morrer da mesma maneira que o seu Senhor.

9 . Filipe crucificado.

Natural de Betsaida.  Por tradição afirma-se que Filipe morreu crucificado aos 87 anos, em Gerápolis, no tempo do imperador Domiciano.

10. Simão Zelota (o Cananeu) crucificado.

É o mais desconhecido de todos os apóstolos. Dele a bíblia só conserva o nome. Segundo Egesipo, teria sofrido o martírio durante o império de Trajano, no ano de 107,  quando já contava com a idade de 120 anos.

11. Matias apedrejado até a morte.

Escolhido pelos discípulos , por sorte ,  para  ocupar  o lugar que era de Judas Iscariotes que se suicidara.

12. Tomé foi atingido por uma lança na Índia durante uma de suas viagens missionárias para estabelecer a igreja lá.

13. Judas Iscariotes suicidou-se por enforcamento.

Sucumbiu  a  tentação  e  traiu  Jesus  por  30  moedas  de  ouro , após o que, com fortes remorsos, suicidou-se.

(07 de 08) Como ser feliz em 8 sábados? – Pr. Álvaro Martinho

 Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus. Mateus 5:9

PACIFICADORES BEM AVENTURANÇASChegamos ao penúltimo dia da série Como Ser Feliz em 8 Sábados, e a cada vez percebemos o quanto precisamos entender, estudar e viver o que as escrituras ensinam.

Deus quer que sejamos felizes, e se você não é feliz é porque você não enxergou a felicidade ao teu lado.

Pacificação é uma palavra ativa e não passiva. O verso de hoje nos diz que precisamos promover a paz e não apenas estar em paz.

Hoje o mundo promove passeatas de paz, soltam balões brancos e etc. O mundo assimilou paz à ausência de guerra e etc.

 

1 – Paz – Relacionamento com Deus.

2 – Paz – Entre as pessoas.

3 – Paz – Segurança e confiança eterna em Deus.

Em Efésios 2:1-3 – Que maravilha saber que antes andávamos em pecado e hoje vivemos lutando contra ele. Não seria ótimo se nascêssemos sorrindo ao invés de chorando, afinal, temos muitos motivos para isso.

Veja bem, quando nascemos, ficamos 9 meses no escuro, de cabeça para baixo, balançando por todos os lados, engolindo o alimento que você não pediu e ao sair vemos a luz, as pessoas que nos amam e nos esperavam a tanto tempo.

Então porque choramos quando nascemos?

R: Choramos porque nascemos com a natureza do pecado e ate quando crescemos nos inclinamos para cometer erros que nunca ninguém nos precisou ensinar. Incrível.

O pastor nos contou a história de sua filha, quando num dia chegou em casa com uma bonequinha diferente das que tinha. A mãe perguntou da boneca e a filha disse que havia ganhado de uma coleguinha. Na verdade ela havia pegado da amiguinha sem que ela deixasse.

O pastor e sua esposa foram até a casa da amiguinha para devolvê-la.

Efésios 2:4, 5 – Jesus, Deus por seu Grande Amor e Misericórdia nos deu Vida.

Romanos 5:1 – por meio de Jesus é que passamos a ter paz com Deus.

Quando você conhecer alguém que reclama que não consegue dormir, ao menos que seja por problemas de saúde, é porque não tem paz com Deus. Por isso as crianças dormem em qualquer lugar, você já percebeu isto?

Muitos de nós não tem paz com Deus, mesmo lendo a Bíblia, orando e etc. Precisamos cuidar disso.

Isaías 52:7 – Nos lembrou da igreja de João Colombi, a caçula do distrito. Contou-nos que usa até outro sapato, um sapato velhinho, pois o lugar é íngreme e tem muita poeira. Embora no dia de Sábado tendo um sapato novo e mais bonito para usar, o sapato velhinho e empoeirado é o que tem mais valor para Deus.

Quando convidamos os amigos para vir à igreja, somos mais beneficiados. Isto é evangelizar, é promover paz, paz verdadeira, paz que vem do alto.

Precisamos desfrutar mais de promover paz, pois até os sapatos aprendemos a escolher, até os vizinhos aprendemos a convidar, basta confiar em Deus e ir fundo.

Agora se você só espera paz, então você só fica reclamando, porque só espera do próximo e nada sai de ti. Até o programa do amigo visitante foi estabelecido por pessoas que necessitam mostrar e levar paz ao próximo.

Tem gente especialista em por lenha na fogueira. Começam na cama do lado do cônjuge, na mesa do café, picuinhas, problemas e confusões.

Precisamos tornar nossos lares, um lar de Paz, onde o Senhor possa habitar.

Certa vez uma senhora o disse: “Às vezes, aqui em casa, é melhor eu ficar quieta, se não acontecem guerras.”.

Tem horas que precisamos falar e horas que precisamos nos calar. Isso é promover paz. Precisamos ser agentes de paz e não tocadores de lenha na fogueira.

Hoje de manhã, é possível que haja pessoas que precisam de conciliação. Esposo com esposa, irmão com irmão, amigo com amigo, vizinho com vizinho, enfim, precisamos resolver isto, porque isso é um ponto fundamental para ter paz verdadeira.

Porque pela misericórdia de Deus conseguiremos e se você confia nisso, certamente será bem-aventurado.

Somente seremos filhos verdadeiros de Deus, quando promovermos a Paz, assim como Deus que é um promotor de Paz.

Que Deus lhe dê a Paz que você tanto necessita e que você possa ser Bem-aventurado.

Nossa Descrição de Trabalho

trabalho-missionario Bom dia a todos. O tema de hoje é: “Nossa Descrição de Trabalho.”
Depois de analisar o evangelho e o testemunho temos condições adequadas de fazer uma declaração do nosso trabalho de acordo com as orientações bíblicas.
Evangelismo é o processo de proclamar o evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo de maneira clara e persuasiva, de modo que homens e mulheres O aceitem como Salvador e O sigam como Senhor, para que se tornem discípulos bem como formadores de discípulos.
Assim fazendo, estamos nós seguindo a missão que o Senhor nos confiou quando disse: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.” Mateus 28:18-20.
O rápido crescimento da igreja primitiva foi devido em grande parte, à convicção e empenho de seus membros. Evidentemente tudo isso passa pelos ensinamentos de Jesus e pelo poder do Espírito Santo.
Nem sempre são as palavras rebuscadas que fazem a diferença. Milhares podem ser alcançados de modo simples e humilde.
Tenham todos um ótimo dia.

Fonte: http://www.stina.com.br/

Em Busca da Perfeição

Portanto, sejam perfeitos como perfeito é o Pai celestial de vocês. Mateus 5:48

PerfeiçãoEssas palavras de Jesus têm desafiado e esmagado, motivado e envergonhado muitas pessoas sinceras desde que foram proferidas. Elas ainda servem para os dias de hoje e devemos levá-las a sério.

Algumas pessoas consideram essas palavras como a exigência de uma vida absolutamente isenta de pecado. Com isso em mente, encontram em si mesmas algo que desponta e as faz pensar: “Serei essa pessoa! Farei tudo o que for necessário para me desvencilhar das imperfeições de minha vida para que possa ser encontrado sem pecado diante de Deus!”

Tais pessoas sinceras caem num profundo poço, o poço da ilusão. Passam a se concentrar em si mesmas e a se introverter, ao passo que Jesus nos convida sempre a nos extroverter a fim de abençoarmos o próximo. Ao persistirem nesse caminho, inevitavelmente acabam se orgulhando de sua suposta justiça ou abandonando completamente a religião.

O que Jesus quis dizer com essas palavras desafiadoras? Como sempre ocorre na Bíblia, o contexto em que essas palavras se encontram esclarece seu significado. Para isso, precisamos voltar para o verso 43, verso em que Jesus citou o Antigo Testamento: “Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’. Mas Eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos Céus. Porque Ele faz raiar o Seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos” (Mt 5:43-45).

Nesses versos Jesus disse que devemos nos relacionar com as pessoas – todas as pesssoas, não apenas os amigos – da mesma forma que Deus Se relaciona com elas. Ele é bondoso e generoso para todos, sem distinção ou parcialidade. Então, vem o verso 48, que é a conclusão do argumento: devemos ser completos e maduros (esse é o significado do original), assim como é o Pai celestial em tudo o que Ele faz.

Eugene Peterson expressou Mateus 5:48 nas seguintes palavras: “Em uma palavra, o que estou dizendo é: cresçam. Vocês são súditos do reino. Vivam de acordo com ele. Vivam sua identidade criada por Deus. Tratem o próximo generosa e bondosamente, do mesmo modo que Deus trata vocês” (The Message).

Ellen White afirmou: “Cumpre-nos ser centros de luz e bênção para o nosso pequeno círculo, da mesma maneira que Ele o é para o Universo” (O Maior Discurso de Cristo, p. 77).

(06 de 08) Como ser feliz em 8 sábados? – Pr. Álvaro Martinho

aplicando-o-coracao-blog-do-bispo-rodovalho Olá, tudo bem? Como está sua vida e seu coração? Se estiver tudo bem, que ótimo, mas não deixe de vigiar e orar, porque o Inimigo pode tentar contra ti na hora em que você menos esperar. Se não, então preste bastante atenção na prévia do sexto sermão da série “Como Ser Feliz em 8 sábados?” com o Pr. Álvaro Martinho.

A Plataforma foi composta por Davi Almeida, Nilda Goulart, Pastor Álvaro Martinho, Fernanda Ott e Thiago Thom Pelissari. A Adoração Infantil ficou com Márcio Goulart e a Linda Música Especial ficou com Gledson Storch.

Márcio Goulart, durante a Adoração Infantil fez uma pergunta que deixou o pastor intrigado, “qual o seu animal preferido?” e o pastor, na introdução do seu sermão nos contou que nasceu na cidade, onde só conhecia asfalto e que não cresceu junto de animais de estimação, por isso não tem muita afinidade com animais, mas se casou com Leda, uma mulher Sul-matogrossense que cresceu em meio a animais de estimação e também selvagens. Como a educação é diferente de pessoa para pessoa, não é mesmo?

Isso nos fez refletir que muitos aprenderão guardar o sábado somente no céu e inclusive a viver com animais, eternamente.

Você pode ser feliz dentro de uma fornalha como os amigos de Daniel (Daniel 3:12-30) ou em um calabouço como José do Egito (Gênesis 41: 39-41).

O Sermão do monte de Mateus 5 foi muito bem elabora por Jesus. Podemos chamar a quarta bem-aventurança, de “o topo”. Da primeira a quarta podemos dizer que estamos na subida, da quinta a oitava podemos chamar de descida.

A quarta bem-aventurança é a mudança de trajeto. As primeiras representam Adoração a Deus, enquanto as últimas representam Amor ao Próximo.

Bem-aventurados os puros (limpos) de coração? O que isso significa? Somente os puros verão a Deus?

Você sabia que ninguém pode fazer qualquer cirurgia se antes fazer exames cardíacos?

Os médicos precisam conhecer seu coração para que somente com um diagnóstico bom, passem a dar prosseguimento à cirurgia. Interessante, não?!

Um Inglês chamado Walter Cleiny, quando prestes a ser decapitado por uma guilhotina recebeu uma pergunta do carrasco, “Sua cabeça está na posição correta?”, então ele respondeu, “Pouco me importa a cabeça, o importante é como está meu coração.”.

Provérbios 4: 23-27 Cuide do seu coração, nele está a sua vida.

Porém este coração que a Bíblia ensina, não é o mesmo coração de carne e músculo que está no nosso peito. O Coração que a Bíblia ensina é o cérebro, órgão tão importante e poderoso que inclusive comanda o coração dentro do nosso peito. Qualquer acidente com o cérebro pode prejudicar todo o corpo.

Portanto, quando a Bíblia fala sobre guardar e cuidar do seu coração, ela está dizendo para guardar sua alma, seu cérebro.

O inimigo ataca principalmente o nosso cérebro, através da nossa alimentação e saúde física em geral. Você conhece aquele ditado que diz, “Mente sã, corpo sã.”, pois funciona desse jeito e vice-versa.

Porque você precisa cuidar do seu corpo?

R.: Para que ele possa estar em harmonia entre todos os órgãos, para que haja total conexão com Deus, seja no corpo, pensamentos e ações, pois tudo isso vem do cérebro, o principal órgão do nosso corpo, vulgo o coração descrito na Bíblia.

Os desejos, vontades, pensamentos e etc, tudo isso vem do cérebro, assim como todas as nossas ações. Nosso cérebro é nosso quartel general, onde podemos nos defender e nos armar contra o maligno, por intermédio da graça e misericórdia de Deus.

“O homem bom do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau do mau tesouro tira o mal; porque a sua boca fala o de que está cheio o coração.” Lucas 6:45

De uma visão espiritual, todos nós estamos perdidos. Música, TV, conversas e etc, tudo isso gruda igual chiclete em nossa mente.

Então, como ser puros, para que possamos ir para o céu, como diz a Bíblia?

Só tem uma solução. Os Judeus representavam isso em uma santidade aparente, ou seja, com o que os outros pensavam deles.

Precisamos ter uma santidade íntima, com coração transformado por dentro primeiramente e por fora por consequência da transformação interior.

Precisamos ter uma santidade íntima, com um coração transformado.

O Pastor nos contou uma história de uma mulher que sempre lhe dizia que iria se divorciar do marido e todas as vezes que ela falava com ele, ele respondia para se separar sim e que não poderia mais continuar assim. Porém, todos os cultos, os dois vinham de braços dados, com carinho e tudo mais. Tudo isso para mostrar para os membros da igreja, de uma forma exterior e aparente, que eles estavam numa boa.

Na Vida Espiritual, muitos já se divorciaram de Cristo, mas continuam vindo a igreja, cantando, orando e participando de tudo na igreja, tentando mostrar aos outros uma santidade aparente, quando na verdade por dentro as coisas estão totalmente diferentes.

No tempo de Jesus, Ele repreendia os fariseus e os chamava de Sepulcros Caiados, que nada mais nada menos são sepulcros bonitos por fora, com enfeites, pedras preciosas e ornamentos de todos os tipos, mas que por dentro eles são fétidos, imundos, frios e escuros.

Pode parecer impossível ter um coração puro, porque quando nos olhamos no espelho, nos vemos como os sepulcros caiados, sujos, fétidos e imundos.

Graças ao bom Deus, há uma solução para este drama.

Cerca de 490 A.C, um monge chamado Simão se enterrou na terra, deixando apenas sua cabeça de lado, no intuito de deixar seus caminhos maus. Ficou ali por meses, porém acabou percebendo que o problema não estava no seu corpo, mas em sua mente.

Saiu de debaixo da terra e resolveu subir em um mastro de 18 metros e ali passou seus últimos anos de vida, no intuito de purificar a sua mente e o seu coração.

Jamais, por nossas próprias forças, conseguiremos mudar nosso caráter, somente quando Deus operar é que conseguiremos ter um caráter puro e santo, conforme a vontade do Senhor.

Salmos 24:3 e 4 diz: “Quem subirá ao monte do SENHOR, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.”

O verso 4 nos mostrar que somente os puros e que entregam o caminho e pensamentos ao Senhor é que poderão se dirigir ao Templo do Senhor.

Nenhum de nós é puro e justo para estar na presença do Senhor.

Isaías 29:3 “Porque te cercarei com o meu arraial, e te sitiarei com baluartes, e levantarei trincheiras contra ti.”.

Será que o culto, oferta, dízimo ou qualquer coisa que fazemos a Deus não é um culto hipócrita?

Devemos adorar a Deus com a mente, com o coração puro, para que tudo possa chegar a Deus como perfume suave e agradável.

“Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros. Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Não deis lugar ao diabo. Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade. Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.” Efésios 4:25,29

Nossa mente é mal programada, mal ensinada. Dessa forma, nossa mente/coração esta transbordando de maleficência.

A hipocrisia espiritual vive nos acompanhando por todos os lados e de todas as maneiras.

Salmos 51: 10 “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.”.

Imagine Davi escrevendo este Salmo, pedindo ao Senhor este espírito reto, inabalável/estável.

Pessoas bipolares são preocupantes, pois não tem domínio próprio e não tem certeza de suas emoções, isso não é bom para um cristão.

Precisamos ser os mesmos, precisamos de um transplante cerebral, feito por Deus, onde a mente de Cristo estará dentro de nós e somente assim, venhamos a pensar e agir conforme a vontade de Deus. O homem nunca conseguirá sua purificação com suas próprias forças, somente pela misericórdia de Deus.

O relacionamento saudável com Deus faz o Cristão ter uma visão diferente das coisas, inclusive da morte. Jesus morreu assim que seu coração explodiu na Cruz, seu sangue caiu sobre nós e nos purificou.

Nem Moisés viu a Deus no monte Sinai, teve de se virar de costas para que Deus passasse e pudesse ver apenas seu brilho Êxodo 33:18-23.

Como ver o Senhor então?

Jó 19: 25,26 – Reafirma a fé acima de tudo.

Jó 42: 5,6 – Arrependimento, reconhecimento e purificação de espírito.

É fácil ver Deus nas bênçãos, quando tudo vai bem, ao contrário de quando estamos no meio de lutas ou problemas.

História: “Um homem, de umas das igrejas por onde fui pastor, todas as semanas tinha que ir ao hospital para fazer transfusão de sangue onde passava por aquelas máquinas de hemodiálise”.

Deus quer purificar seu coração e você sabe disso. Porém você precisa fazer como aquele homem, deitar, esticar o braço, pois assim como aquela maquina de hemodiálise tira o sangue ruim e põe um sangue novo, você terá seu coração purificado, seu sangue removido e lavado, pois Jesus quer fazer isso contigo.

Jesus quer te purificar para que você possa vê-lo um dia e ao lado dEle desfrutar de um mundo novo, de uma vida nova onde não haverá nenhum tipo de mal.

A perfeição dos cristãos imperfeitos

“NOSSA VIDA PODE SER PERFEITA EM CADA FASE DE DESENVOLVIMENTO, CONTUDO HAVERÁ PROGRESSO CONTÍNUO, SE O PROPÓSITO DE DEUS SE CUMPRIR EM NÓS. A SANTIFICAÇÃO É OBRA DE TODA UMA VIDA” (ELLEN G. WHITE, PARÁBOLAS DE JESUS, P. 65).

perfeccionismo-423x330 Certa vez, um adventista de nascimento que defende a cristologia pós-lapsariana (segundo a qual Jesus teria a natureza de Adão após a queda, com as tendências herdadas para o pecado – embora não com as tendências cultivadas) discutia o assunto com outro adventista pré-lapsariano. A certa altura, o primeiro disse: “Você não compreende esses assuntos porque bebe Coca-Cola. Deve estar com a mente embotada.” O segundo, então, respondeu: “Na verdade, depois que me tornei adventista, nunca mais bebi Coca-Cola e sempre procurei ser temperante.” Este diálogo mais ou menos fictício (e bem minimalista) mostra um fenômeno interessante (mas que não pode ser generalizado): indivíduos que nasceram em lar adventista e, infelizmente, tiveram maus exemplos por parte de alguns adventistas próximos, quando conhecem a mensagem do reavivamento e da reforma (especialmente no que tange às mudanças alimentares) – e começam a vivê-la – pensam algo mais ou menos assim: “Agora eu descobri o verdadeiro adventismo.” Isso não é necessariamente ruim, desde que se trate de uma conversão genuína. O problema é quando essas pessoas começam a olhar de cima para seus irmãos, como se eles não estivessem vivendo a mensagem. Outros ainda passam a se dedicar ao estudo de um assunto apenas, até que este se torne praticamente sua única bandeira, o tema todo-absorvente de suas pesquisas e pregações. Consideram-se donos de uma luz especial que os demais não conseguem ver. Esquecem-se de que Deus conduz um povo, não ramificações, e desconfiam de todos os que não vivem à altura do padrão adotado por eles.

Satanás é especialista em dividir para conquistar. Quando consegue utilizar uma necessidade real e importante (como a reforma) para causar divisão, melhor ainda para ele. Os extremos dessa questão são perigosos: por um lado, (1) desconsiderar o apelo ao reavivamento e à reforma (que tem que ver com todos os aspectos da vida, não apenas com a dieta), por outro (2) distorcer a ideia da reforma, a ponto de considerar as mudanças no estilo de vida como uma credencial para o Céu.

Convido-o a analisar com cuidado e atenção o seguinte texto inspirado: “Era possível a Adão, antes da queda, formar um caráter justo pela obediência à lei de Deus. Mas deixou de fazê-lo e, devido ao seu pecado, nossa natureza se acha decaída, e não podemos tornar-nos justos. Visto como somos pecaminosos, profanos, não podemos obedecer perfeitamente a uma lei santa. Não possuímos justiça em nós mesmos com a qual pudéssemos satisfazer às exigências da lei de Deus. Mas Cristo nos proveu um meio de escape. Viveu na Terra em meio de provas e tentações como as que nos sobrevêm a nós. Viveu uma vida sem pecado. Morreu por nós, e agora Se oferece para nos tirar os pecados e dar-nos Sua justiça. Se vos entregardes a Ele e O aceitardes como vosso Salvador, sereis então, por pecaminosa que tenha sido vossa vida, considerados justos por Sua causa. O caráter de Cristo substituirá o vosso caráter, e sereis aceitos diante de Deus exatamente como se não houvésseis pecado” (Ellen White, Caminho a Cristo, p. 62; grifos meus).

Vamos pontuar:

1. Antes da queda, portanto com sua natureza humana perfeita, Adão poderia formar caráter justo pela obediência à lei de Deus. Logo, após a queda, isso não mais é possível.

2. Depois do pecado, nossa natureza se acha decaída e somos incapazes de nos tornar justos.

3. Somos pecaminosos, profanos e, por isso, não podemos obedecer perfeitamente a uma lei santa, porém, “se está no coração obedecer a Deus, se são feitos esforços nesse sentido, Jesus aceita esta disposição e esforço como o melhor serviço do homem, e supre a deficiência, com Seu próprio mérito divino” (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 382).

4. Cristo, que possuía a natureza moral de Adão antes da queda (não, porém, a física), viveu uma vida sem pecado e cumpriu perfeitamente a lei de Deus.

5. Cristo Se oferece para nos tirar os pecados e dar-nos Sua justiça. Assim somos considerados justos.

6. Quando aceitamos Jesus como Salvador (justificação), o caráter dEle substitui o nosso, e somos aceitos diante de Deus como se não houvéssemos pecado.

Outro texto para sua consideração: “Os serviços religiosos, as orações, o louvor, a penitente confissão do pecado, sobem dos crentes fiéis, qual incenso ao santuário celestial, mas passando através dos corruptos canais da humanidade, ficam tão maculados que, a menos que sejam purificados por sangue, jamais podem ser de valor perante Deus. Não ascendem em imaculada pureza, e a menos que o Intercessor, que está à mão direita de Deus, apresente e purifique tudo por Sua justiça, não será aceitável a Deus. Todo o incenso dos tabernáculos terrestres tem de umedecer-se com as purificadoras gotas do sangue de Cristo. Ele segura perante o Pai o incensário de Seus próprios méritos, nos quais não há mancha de corrupção terrestre. Nesse incensário reúne Ele as orações, o louvor e as confissões de Seu povo, juntando-lhes Sua própria justiça imaculada. Então, perfumado com os méritos da propiciação de Cristo, o incenso ascende perante Deus completa e inteiramente aceitável” (Ellen White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 344).

Nem o que de melhor possamos oferecer – nossas orações, o louvor e as confissões – é considerado imaculado diante do Deus santo – imagine a guarda do sábado, a fidelidade, o estilo de vida, etc. Seres humanos imperfeitos jamais poderão prestar obediência perfeita, no entanto, Jesus nos diz: “Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos” (João 14:15). Nossa motivação para a obediência deve ser o amor. Quem ama, procura agradar ao objeto de seu amor e aceita por amor aquilo que Cristo coloca à sua disposição. E, quando reconhecemos que Deus somente visa ao nosso bem (a ponto de ter morrido por nós), entendemos que a obediência aos mandamentos dEle, na verdade, nos serve de proteção. É sempre o melhor para nós.

Ellen White também diz que “a salvação é inteiramente um dom gratuito. A justificação pela fé está fora de controvérsia. E toda essa discussão estará terminada logo que seja estabelecida a questão de que os méritos do homem caído, em suas boas obras, jamais poderão obter a vida eterna para ele” (Fé e Obras, p. 20). Agora pense: se Jesus tivesse as tendências para o pecado (ainda que somente as herdadas), as boas obras dEle não serviriam nem para salvá-Lo; imagine para nos salvar…

É preciso entender que a perfeição bíblica se resume no amor desinteressado, conforme descrito em Mateus 5:43-48. Devemos ser perfeitos em nossa esfera (relativa) como Deus o é na dEle (absoluta).

“Aquele que não conheceu pecado, Ele O fez pecado por nós; para que, nEle, fôssemos feitos justiça de Deus” (2 Coríntios 5:21).

“Sabeis também que Ele Se manifestou para tirar os pecados, e nEle não existe pecado” (1 João 3:5).

O texto a seguir é muito claro. Os “perfeccionistas” dizem que, quanto mais avançarmos na santificação, menos precisaremos nos arrepender. No segundo parágrafo, Ellen White diz exatamente o contrário disso: “A santificação não é obra de um momento, de uma hora, de um dia, mas da vida toda. […] Enquanto reinar Satanás, teremos de subjugar o próprio eu e vencer os pecados que nos assaltam; enquanto durar a vida não haverá ocasião de repouso, nenhum ponto a que possamos atingir e dizer: ‘Alcancei tudo completamente.’ A santificação é o resultado de uma obediência que dura a vida toda. […]

“Quanto mais nos aproximarmos de Jesus, e quanto mais claramente distinguirmos a pureza de Seu caráter, tanto mais claramente veremos a excessiva malignidade do pecado, e tanto menos nutriremos o desejo de nos exaltar a nós mesmos. Haverá um contínuo anelo da alma em direção a Deus, uma contínua, sincera, contrita confissão de pecado e humilhação do coração perante Ele. A cada passo para frente em nossa experiência cristã, nosso arrependimento se aprofundará” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 560, 561).

Outro texto para se considerar cuidadosamente: “Seja cuidadoso, extremamente cuidadoso, ao tratar da natureza humana de Cristo. Não O apresente perante as pessoas como um homem com propensões para o pecado. Ele é o segundo Adão. O primeiro Adão foi criado como um ser puro, sem pecado nem mancha alguma de pecado sobre ele; era a imagem de Deus. Poderia cair, e de fato caiu ao transgredir. Por causa do pecado, sua posteridade nasceu com inerentes propensões para a desobediência. Mas Jesus Cristo era o Filho unigênito de Deus. Ele tomou sobre Si a natureza humana, e foi tentado em todas as coisas como a natureza humana é tentada. Ele poderia ter pecado; poderia ter caído, mas por nem um momento sequer houve nEle uma má propensão” (Ellen White, Carta 8, 1895).

Até a glorificação (na segunda vinda de Jesus), jamais poderei dizer que não existe pecado em mim. Mas em Cristo – nosso amado Substituto – há poder para vencer o pecado (atos e pensamentos). E Deus, somente Ele, seja louvado por isso!

Michelson Borges, jornalista e mestre em teologia
Fonte: www.criacionismo.com.br