Eva – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

“E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.”. Gênesis 3:6

Nossos primeiros pais, se bem que criados inocentes e santos, não foram colocados fora da possibilidade de praticar o mal. Deus os fez como seres morais livres, capazes de apreciar a sabedoria e benignidade de Seu caráter, e a justiça de Suas ordens, e com ampla liberdade de prestar obediência ou recusá-la

Enquanto permanecessem fiéis a Deus, Adão e sua companheira deveriam exercer governo sobre a Terra. Foi lhes dado domínio ilimitado sobre todo ser vivente. O leão e o cordeiro brincavam pacificamente em redor deles, ou deitavam-se aos seus pés. Os ditosos pássaros esvoaçavam ao seu redor, sem temor; e, ao ascenderem seus alegres cantos em louvor ao Criador, Adão e Eva uniam-se a eles em ações de graças ao Pai e ao Filho. […]

Os anjos haviam advertido Eva de que tivesse o cuidado de não se afastar do esposo enquanto se ocupavam com seu trabalho diário no jardim; junto dele estaria em menor perigo de tentação, do que se estivesse sozinha. Mas, absorta em sua aprazível ocupação, inconscientemente se desviou de seu lado. […] Logo se achou a contemplar, com um misto de curiosidade e admiração, a árvore proibida.

Não tivessem Adão e Eva desobedecido ao seu Criador, tivessem eles permanecido no caminho da perfeita retidão, e poderiam ter conhecido e compreendido a Deus.

O que Deus espera das mulheres curiosas é que o desejo de crescer e aprender seja sempre guiado pelos limites que Ele mesmo dispôs (Marcos 12:30,31) O mais importante é aprender a guardar os mandamentos como tu diretriz para estabelecer os limites. Tendo feito isto, podemos sair e explorar o mundo, fazer muitas descobertas com a benção de Deus.

Com ela também aprendemos a superar nossos erros e a continuar vivendo e se preparando para viver eternamente em um mundo livre de pecado e condenações.

Fonte: Filhas de Deus, Ellen White./Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/06/eva/

Sara – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

Far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma benção. Gênesis 12:2.

Foi feita a Abraão a promessa de uma posteridade numerosa e de grandeza nacional, promessa especialmente acatada pelo povo daquela época e a isto acrescentou-se esta certeza, mais preciosa do que todas as outras para o herdeiro da fé, de que o Redentor do mundo viria de sua linhagem: “Em ti serão benditas todas as famílias da Terra”. Génesis 12:2,3

Quando Abraão tinha quase cem anos de idade, a promessa de um filho foi-lhe repetida, com a informação de que o futuro herdeiro seria filho de Sara. Mas Abraão ainda não compreendeu a promessa. Sua mente de pronto volveu para Ismael, apegando-se à crença de que por meio dele os propósitos graciosos de Deus deveriam cumprir-se. Em sua afeição para com o filho, exclamou: “Oxalá que viva Ismael diante de Teu rosto”.Gênesis 17:18-20. De novo foi feita a promessa, com palavras que não poderiam ser mal-compreendidas: “Na verdade, Sara tua mulher te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque, e com ele estabelecerei o Meu concerto.” […] E Sara riu, não acreditando na promessa do Senhor (Génesis 17:18).

O nascimento de Isaque, trazendo a realização de suas mais caras esperanças, após uma espera da duração de uma vida, encheu de alegria as tendas de Abraão e Sara. […]

Tanto Abraão como Sara não confiaram no poder de Deus, e foi este erro que determinou o casamento com Hagar.

Como Sara, muitas vezes você pode achar que os planos de Deus são engraçados e sentir vontade de rir, mas lembre-se que Deus nunca ri dos nossos obstáculos. Com Ele tudo é possível.

Fonte: Filhas de Deus, Ellen White./Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/05/sara/

Rebeca – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

Aqui está Rebeca; leve-a com você e que ela se torne a mulher do filho do seu senhor, como disse o Senhor. Gênesis 24:51

Isaque ainda estava solteiro. Abraão temia a influência corruptora que rodeava Isaque, e estava desejoso de escolher para ele uma esposa que não o afastasse de Deus. Confiou essa tarefa ao seu fiel e experiente servo, que governava tudo que ele possuía.

O servo a quem esta missão foi confiada iniciou a sua longa jornada. Ao entrar na cidade onde habitavam os parentes de Abraão, orou fervorosamente para que Deus o guiasse na escolha da esposa para Isaque. Pediu que uma evidência positiva lhe fosse dada para não errar nesse assunto.

Descansou junto a um poço, que era lugar de grande ajuntamento. Aqui particularmente ele notou as maneiras recatadas e a cortês conduta de Rebeca, recebendo toda a evidência que pedira a Deus, de que Rebeca era aquela que Deus houvera por bem escolher para tornar-se a esposa de Isaque. Ela convidou o servo para a casa de seu pai. Ele então relatou ao pai de Rebeca e a seu irmão, a evidência que recebera do Senhor de que Rebeca devia tornar-se a esposa do filho de seu senhor, Isaque. Disse então o servo de Abraão: “Agora, pois, se vós haveis de mostrar beneficência e verdade a meu senhor, fazei-mo saber; e se não, também mo fazei saber, para que eu olhe à mão direita, ou à esquerda”.

O pai e o irmão responderam: “Do Senhor procedeu este negócio, não podemos falar-te mal ou bem. Eis que, Rebeca está diante da tua face; toma-a, e vai-te; seja a mulher do filho de teu senhor, como tem dito o Senhor. E aconteceu que o servo de Abraão, ouvindo as suas palavras, inclinou-se à terra diante do Senhor”.

Depois de obter-se o consentimento da família, a própria Rebeca foi consultada quanto a ir ela a uma tão grande distância da casa de seu pai para casar-se com o filho de Abraão. Ela acreditava, pelo que havia tido lugar, que Deus a escolhera para ser a esposa de Isaque, e disse: “Irei”.

Quando Deus nos dá uma pequena tarefa para abençoar outras pessoas, lembre-se do exemplo da Rebeca dando água para os camelos. E se este pequeno ato de bondade trouxer a oportunidade de mudar uma vida, você precisa avançar pela fé e como Rebeca, aceitar os planos de Deus.

Fonte: Filhas de Deus, Ellen White./Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/04/rebeca/

Miriam, irmã de Moisés – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

Então Miriã, a profetiza, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com danças. E Miriã lhes respondia: Cantai ao SENHOR, porque gloriosamente triunfou; e lançou no mar o cavalo com o seu cavaleiro. (Êxodo 15:20-21)

Miriã cuidou de Moisés quando sua mãe o escondeu próximo dos juncos, no rio. Posteriormente, ela se associou com Moisés e Arão na libertação do povo de Israel do Egito. Ela era talentosa e possuía muitos dons, mas o sentimento de inveja pela posição de Moisés a levou a cometer muito erros.

A força de caráter de Miriã cedo se mostrara, quando criança vigiara ao lado do Nilo a pequena cesta em que estava escondido o bebê Moisés. De seu domínio próprio e tato Deus Se servira como instrumento para preservar o libertador de Seu povo. Dotada dos dons da poesia e música, Miriã dirigira as mulheres de Israel no cântico e na dança, à margem do Mar Vermelho. Na afeição do povo e honras do Céu, estava ela apenas abaixo de Moisés e Arão. Entretanto, o mesmo mal que a princípio trouxera discórdia no Céu, surgiu no coração desta mulher de Israel, e ela não deixou de encontrar quem com ela simpatizasse em seu descontentamento.

Se a inveja e descontentamento de Miriã não houvessem sido repreendidos de maneira clara, teria resultado um grande mal. A inveja é uma das mais satânicas características que podem existir no coração humano, e uma das mais funestas em seus efeitos. […] Foi a inveja que, a princípio, causou a discórdia no Céu, e a condescendência com ela acarretou males indizíveis entre os homens. “Onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa”. Tiago 3:16.

Chegamos então à conclusão de que Miriã foi falha, mas foi uma mulher poderosamente usada por Deus. Podemos aprender com erros de Miriã para não os cometermos. Mas também podemos aprender com as atitudes corretas que ela teve: obedeça a Deus, celebre-o sempre, coloque-se a disposição do Reino e seja usada pelo Senhor . Com certeza MIRIÃ marcou sua geração. Vamos marcar também? Amém!

Fonte: Filhas de Deus – Ellen White/Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/02/miriam-irma-de-moises/

Raquel – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

Quando Raquel viu que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã. Por isso disse a Jacó: “Dê-me filhos ou morrerei! Gênesis 30:1

Raquel, filha de Labão, irmã de Lia, era a amada de Jacó. Mas, apesar de Jacó amá-la tanto, não foi com ela que ele se casou, primeiramente.
Labão, pai de Raquel e Lia e tio de Jacó, foi injusto com sua filha mais nova, Raquel, dando a sua irmã mais velha a Jacó como esposa. Este foi um ato de traição que deixou Jacó e Raquel atônitos e revoltados, pois o interesseiro Labão havia exigido dele servi-lo por sete anos para poder se casar com sua filha mais nova. Jacó não mediu esforços e concordou com seu futuro sogro a fim de obter a mão dela, pois a amava no mais profundo do seu coração.

Depois destes sete árduos anos (na realidade foram quatorze), finalmente, ele conseguiu ter o amor de sua vida em seus braços. Cada gesto seu mostrava a todos, inclusive para sua mulher Lia, que Raquel era a que ele, realmente, amava. Apesar de já ter filhos com Lia, ele só tinha olhos para a sua amada Raquel que recuperara a bênção que havia sido roubada dela, sete anos atrás. Mas o amor de Jacó não foi suficiente para Raquel. Ela era estéril e era infeliz, reclamava com o marido e sofria muito.

Muitas vezes, nós fazemos como Raquel. Não esperamos o tempo do Senhor e procuramos resolver nossos problemas com nossa “sabedoria”. Achamos que não precisamos do Senhor e, quando tudo dá errado, é que nos lembramos que temos um Deus que tem um plano perfeito para a nossa vida. Não sejamos, irmãs, impetuosas mas tenhamos um espírito que descansa no Senhor e que entrega todas as coisas em Suas mãos.

Mas, apesar da impaciência de Raquel, a Bíblia nos diz: “E lembrou-se Deus de Raquel; e Deus a ouviu, e abriu a sua madre” (Gênesis 30:22). Raquel, finalmente, pôde dar um filho a Jacó que, no futuro, seria uma bênção para toda a sua família. O seu nome era José.

Vendo este quadro da vida de Raquel, podemos ver quão grande é o amor de Deus por nós. Apesar da nossa desobediência, da nossa infidelidade, Deus é fiel, nos ama e dá a Sua graça. E, podemos ver, que Ele nos ama, não porque somos bons mas porque Ele é bom e fiel.
Irmãs, não é bom sermos filhas deste Deus maravilhoso?

Fonte: Do Coração de Valdenira – Valdenira de Menezes Silva/Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/03/raquel/

As filhas de Zelofeade – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

E Moisés levou a causa delas perante o Senhor.
E falou o Senhor a Moisés, dizendo:
As filhas de Zelofeade falam o que é justo; certamente lhes darás possessão de herança entre os irmãos de seu pai; e a herança de seu pai farás passar a elas.
E falarás aos filhos de Israel, dizendo: Quando alguém morrer e não tiver filho, então fareis passar a sua herança à sua filha.
E, se não tiver filha, então a sua herança dareis a seus irmãos.
Porém, se não tiver irmãos, então dareis a sua herança aos irmãos de seu pai.
Se também seu pai não tiver irmãos, então dareis a sua herança a seu parente, àquele que lhe for o mais chegado da sua família, para que a possua; isto aos filhos de Israel será por estatuto de direito, como o Senhor ordenou a Moisés. Números 27:5-11

Aproximaram-se as filhas de Zelofeade, filho de Héfer, neto de Gileade, bisneto de Maquir, trineto de Manassés; pertencia aos clãs de Manassés, filho de José. Os nomes das suas filhas eram Maalá, Noa, Hogla, Milca e Tirza.

Elas se prostraram à entrada da Tenda do Encontro diante de Moisés, do sacerdote Eleazar, dos líderes de toda a comunidade, e disseram:

“Nosso pai morreu no deserto. Ele não estava entre os seguidores de Corá, que se ajuntaram contra o Senhor, mas morreu por causa do seu próprio pecado e não deixou filhos. Por que o nome de nosso pai deveria desaparecer de seu clã por não ter tido um filho? Dê-nos propriedade entre os parentes de nosso pai”. Números 27:1-4

Todas nós passamos alguma vez pela situação em que alguém nos diz que as coisas não podem mudar, que nossa voz não é importante e que devemos nos acalmar e aceitar as coisas como são. Mas, se são injustiças, nossa responsabilidade é falar seguindo alguns conselhos. Primeiro, quando você está em uma situação aparentemente impossível, confie em Deus. Ele sempre está do lado da justiça. Segundo, não tenha medo de falar.

Finalmente, una-se a suas irmãs. Busque amor, apoio e orações naquelas que se preocupam contigo. Busque o apoio e o carinho das irmãs que Deus te concedeu. Com as filhas de Zelofeade, aprendemos que para Deus, a mulher que tem coragem para levantar-se e falar em nome da justiça, será escutada e lembrada.

Fonte: Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/02/as-filhas-de-zelofeade/

Débora – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

“E Débora, mulher profetisa, mulher de Lapidote, julgava a Israel naquele tempo.” Juízes 4:4

Débora, a profetisa, governou Israel durante o reinado de Jabim, um rei cananeu que foi muito cruel para com os filhos de Israel. A vida nas aldeias era dura. O povo era saqueado e fugia para as cidades fortificadas, em busca de proteção. Então o Senhor suscitou Débora, que era como uma amorosa mãe para Israel. Deus enviou por intermédio dela uma mensagem para que Baraque se preparasse para encontrar Sísera, general de Jabim, na batalha. Baraque recusou-se a ir, a menos que Débora fosse com ele. Ela concordou, mas avisou- lhe que, devido à sua falta de fé nas palavras do Senhor, a honra de matar Sísera seria de uma mulher, e não de Baraque.

Débora comemorou a vitória de Israel num cântico muito exal- tado e sublime. Ela atribuiu a Deus toda a glória do livramento deles, e mandou que o povo O louvasse por Suas obras maravilhosas. Ela conclamou os reis e príncipes das nações ao redor para que ouvissem o que Deus realizara em favor de Israel, e ficassem advertidos quanto a não causar-lhe dano. Ela mostrou que a honra e o poder pertencem a Deus, e não a homens ou a seus ídolos. Descreveu as extraordinárias manifestações da majestade e do poder divino exibidas no Sinai. Expôs perante Israel sua indefesa e aflitiva condição, sob a opressão dos inimigos, e relatou com veemente linguagem a história de sua libertação.

O relato bíblico que temos sobre Débora é um relato de vitória. Mais do que uma vitória contra a opressão sofrida pelo povo de Israel, é um relato da vitória feminina sobre os estigmas. Nós, hoje, olhamos para as mulheres do passado e muitas vezes lamentamos sua condição. Nos esquecemos que condição alguma é barreira para sermos usadas por Deus.

Deus usou Débora para libertar Israel de uma condição opressora, e ao mesmo tempo usa sua história para nos mostrar que unidas a Ele estamos livres de opressões e estigmas que possam existir sobre nós. Uma mulher nas mãos de Deus é uma mulher valorizada, independente da época em que vive. Uma mulher nas mãos de Deus é mais corajosa que um homem, e é capaz de liderá-lo.

Fonte: Filhas de Deus – Ellen White/Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/01/debora/