Eva – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

“E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.”. Gênesis 3:6

Nossos primeiros pais, se bem que criados inocentes e santos, não foram colocados fora da possibilidade de praticar o mal. Deus os fez como seres morais livres, capazes de apreciar a sabedoria e benignidade de Seu caráter, e a justiça de Suas ordens, e com ampla liberdade de prestar obediência ou recusá-la

Enquanto permanecessem fiéis a Deus, Adão e sua companheira deveriam exercer governo sobre a Terra. Foi lhes dado domínio ilimitado sobre todo ser vivente. O leão e o cordeiro brincavam pacificamente em redor deles, ou deitavam-se aos seus pés. Os ditosos pássaros esvoaçavam ao seu redor, sem temor; e, ao ascenderem seus alegres cantos em louvor ao Criador, Adão e Eva uniam-se a eles em ações de graças ao Pai e ao Filho. […]

Os anjos haviam advertido Eva de que tivesse o cuidado de não se afastar do esposo enquanto se ocupavam com seu trabalho diário no jardim; junto dele estaria em menor perigo de tentação, do que se estivesse sozinha. Mas, absorta em sua aprazível ocupação, inconscientemente se desviou de seu lado. […] Logo se achou a contemplar, com um misto de curiosidade e admiração, a árvore proibida.

Não tivessem Adão e Eva desobedecido ao seu Criador, tivessem eles permanecido no caminho da perfeita retidão, e poderiam ter conhecido e compreendido a Deus.

O que Deus espera das mulheres curiosas é que o desejo de crescer e aprender seja sempre guiado pelos limites que Ele mesmo dispôs (Marcos 12:30,31) O mais importante é aprender a guardar os mandamentos como tu diretriz para estabelecer os limites. Tendo feito isto, podemos sair e explorar o mundo, fazer muitas descobertas com a benção de Deus.

Com ela também aprendemos a superar nossos erros e a continuar vivendo e se preparando para viver eternamente em um mundo livre de pecado e condenações.

Fonte: Filhas de Deus, Ellen White./Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/06/eva/

Sara – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

Far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma benção. Gênesis 12:2.

Foi feita a Abraão a promessa de uma posteridade numerosa e de grandeza nacional, promessa especialmente acatada pelo povo daquela época e a isto acrescentou-se esta certeza, mais preciosa do que todas as outras para o herdeiro da fé, de que o Redentor do mundo viria de sua linhagem: “Em ti serão benditas todas as famílias da Terra”. Génesis 12:2,3

Quando Abraão tinha quase cem anos de idade, a promessa de um filho foi-lhe repetida, com a informação de que o futuro herdeiro seria filho de Sara. Mas Abraão ainda não compreendeu a promessa. Sua mente de pronto volveu para Ismael, apegando-se à crença de que por meio dele os propósitos graciosos de Deus deveriam cumprir-se. Em sua afeição para com o filho, exclamou: “Oxalá que viva Ismael diante de Teu rosto”.Gênesis 17:18-20. De novo foi feita a promessa, com palavras que não poderiam ser mal-compreendidas: “Na verdade, Sara tua mulher te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque, e com ele estabelecerei o Meu concerto.” […] E Sara riu, não acreditando na promessa do Senhor (Génesis 17:18).

O nascimento de Isaque, trazendo a realização de suas mais caras esperanças, após uma espera da duração de uma vida, encheu de alegria as tendas de Abraão e Sara. […]

Tanto Abraão como Sara não confiaram no poder de Deus, e foi este erro que determinou o casamento com Hagar.

Como Sara, muitas vezes você pode achar que os planos de Deus são engraçados e sentir vontade de rir, mas lembre-se que Deus nunca ri dos nossos obstáculos. Com Ele tudo é possível.

Fonte: Filhas de Deus, Ellen White./Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/05/sara/

Rebeca – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

Aqui está Rebeca; leve-a com você e que ela se torne a mulher do filho do seu senhor, como disse o Senhor. Gênesis 24:51

Isaque ainda estava solteiro. Abraão temia a influência corruptora que rodeava Isaque, e estava desejoso de escolher para ele uma esposa que não o afastasse de Deus. Confiou essa tarefa ao seu fiel e experiente servo, que governava tudo que ele possuía.

O servo a quem esta missão foi confiada iniciou a sua longa jornada. Ao entrar na cidade onde habitavam os parentes de Abraão, orou fervorosamente para que Deus o guiasse na escolha da esposa para Isaque. Pediu que uma evidência positiva lhe fosse dada para não errar nesse assunto.

Descansou junto a um poço, que era lugar de grande ajuntamento. Aqui particularmente ele notou as maneiras recatadas e a cortês conduta de Rebeca, recebendo toda a evidência que pedira a Deus, de que Rebeca era aquela que Deus houvera por bem escolher para tornar-se a esposa de Isaque. Ela convidou o servo para a casa de seu pai. Ele então relatou ao pai de Rebeca e a seu irmão, a evidência que recebera do Senhor de que Rebeca devia tornar-se a esposa do filho de seu senhor, Isaque. Disse então o servo de Abraão: “Agora, pois, se vós haveis de mostrar beneficência e verdade a meu senhor, fazei-mo saber; e se não, também mo fazei saber, para que eu olhe à mão direita, ou à esquerda”.

O pai e o irmão responderam: “Do Senhor procedeu este negócio, não podemos falar-te mal ou bem. Eis que, Rebeca está diante da tua face; toma-a, e vai-te; seja a mulher do filho de teu senhor, como tem dito o Senhor. E aconteceu que o servo de Abraão, ouvindo as suas palavras, inclinou-se à terra diante do Senhor”.

Depois de obter-se o consentimento da família, a própria Rebeca foi consultada quanto a ir ela a uma tão grande distância da casa de seu pai para casar-se com o filho de Abraão. Ela acreditava, pelo que havia tido lugar, que Deus a escolhera para ser a esposa de Isaque, e disse: “Irei”.

Quando Deus nos dá uma pequena tarefa para abençoar outras pessoas, lembre-se do exemplo da Rebeca dando água para os camelos. E se este pequeno ato de bondade trouxer a oportunidade de mudar uma vida, você precisa avançar pela fé e como Rebeca, aceitar os planos de Deus.

Fonte: Filhas de Deus, Ellen White./Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/04/rebeca/

Miriam, irmã de Moisés – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

Então Miriã, a profetiza, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com danças. E Miriã lhes respondia: Cantai ao SENHOR, porque gloriosamente triunfou; e lançou no mar o cavalo com o seu cavaleiro. (Êxodo 15:20-21)

Miriã cuidou de Moisés quando sua mãe o escondeu próximo dos juncos, no rio. Posteriormente, ela se associou com Moisés e Arão na libertação do povo de Israel do Egito. Ela era talentosa e possuía muitos dons, mas o sentimento de inveja pela posição de Moisés a levou a cometer muito erros.

A força de caráter de Miriã cedo se mostrara, quando criança vigiara ao lado do Nilo a pequena cesta em que estava escondido o bebê Moisés. De seu domínio próprio e tato Deus Se servira como instrumento para preservar o libertador de Seu povo. Dotada dos dons da poesia e música, Miriã dirigira as mulheres de Israel no cântico e na dança, à margem do Mar Vermelho. Na afeição do povo e honras do Céu, estava ela apenas abaixo de Moisés e Arão. Entretanto, o mesmo mal que a princípio trouxera discórdia no Céu, surgiu no coração desta mulher de Israel, e ela não deixou de encontrar quem com ela simpatizasse em seu descontentamento.

Se a inveja e descontentamento de Miriã não houvessem sido repreendidos de maneira clara, teria resultado um grande mal. A inveja é uma das mais satânicas características que podem existir no coração humano, e uma das mais funestas em seus efeitos. […] Foi a inveja que, a princípio, causou a discórdia no Céu, e a condescendência com ela acarretou males indizíveis entre os homens. “Onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa”. Tiago 3:16.

Chegamos então à conclusão de que Miriã foi falha, mas foi uma mulher poderosamente usada por Deus. Podemos aprender com erros de Miriã para não os cometermos. Mas também podemos aprender com as atitudes corretas que ela teve: obedeça a Deus, celebre-o sempre, coloque-se a disposição do Reino e seja usada pelo Senhor . Com certeza MIRIÃ marcou sua geração. Vamos marcar também? Amém!

Fonte: Filhas de Deus – Ellen White/Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/02/miriam-irma-de-moises/

Débora – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

“E Débora, mulher profetisa, mulher de Lapidote, julgava a Israel naquele tempo.” Juízes 4:4

Débora, a profetisa, governou Israel durante o reinado de Jabim, um rei cananeu que foi muito cruel para com os filhos de Israel. A vida nas aldeias era dura. O povo era saqueado e fugia para as cidades fortificadas, em busca de proteção. Então o Senhor suscitou Débora, que era como uma amorosa mãe para Israel. Deus enviou por intermédio dela uma mensagem para que Baraque se preparasse para encontrar Sísera, general de Jabim, na batalha. Baraque recusou-se a ir, a menos que Débora fosse com ele. Ela concordou, mas avisou- lhe que, devido à sua falta de fé nas palavras do Senhor, a honra de matar Sísera seria de uma mulher, e não de Baraque.

Débora comemorou a vitória de Israel num cântico muito exal- tado e sublime. Ela atribuiu a Deus toda a glória do livramento deles, e mandou que o povo O louvasse por Suas obras maravilhosas. Ela conclamou os reis e príncipes das nações ao redor para que ouvissem o que Deus realizara em favor de Israel, e ficassem advertidos quanto a não causar-lhe dano. Ela mostrou que a honra e o poder pertencem a Deus, e não a homens ou a seus ídolos. Descreveu as extraordinárias manifestações da majestade e do poder divino exibidas no Sinai. Expôs perante Israel sua indefesa e aflitiva condição, sob a opressão dos inimigos, e relatou com veemente linguagem a história de sua libertação.

O relato bíblico que temos sobre Débora é um relato de vitória. Mais do que uma vitória contra a opressão sofrida pelo povo de Israel, é um relato da vitória feminina sobre os estigmas. Nós, hoje, olhamos para as mulheres do passado e muitas vezes lamentamos sua condição. Nos esquecemos que condição alguma é barreira para sermos usadas por Deus.

Deus usou Débora para libertar Israel de uma condição opressora, e ao mesmo tempo usa sua história para nos mostrar que unidas a Ele estamos livres de opressões e estigmas que possam existir sobre nós. Uma mulher nas mãos de Deus é uma mulher valorizada, independente da época em que vive. Uma mulher nas mãos de Deus é mais corajosa que um homem, e é capaz de liderá-lo.

Fonte: Filhas de Deus – Ellen White/Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/03/01/debora/

Raabe – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

“Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias” (Hebreus 11:31).

Raabe era uma prostituta que morava numa casa sobre o muro de Jericó. Ela ocultou dois espias israelitas enviados para verificar as defesas daquela cidade. Por causa de sua bondade para com eles, e sua declaração de crença em Deus, os espias prometeram que a vida de Raabe e seus familiares seria poupada quando ocorresse o ataque a Jericó.

Somos propensos, muitas vezes, a pensar que Deus, para ser justo, deve restringir Sua oferta de salvação apenas às pessoas moralmente dignas. Mas a mensagem bíblica, revelada tanto no Antigo Testamento como no Novo, é que a oferta de salvação é extensiva a todos os pecadores. São de Cristo as palavras: “Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes. Não vim chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento” (Lc 5:31 e 32). Em Isaías 1:18 é apresentado o convite: “Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã.”

A experiência da prostituta Raabe é uma das mais belas histórias de salvação pela graça “mediante a fé” (Ef 2:8) encontradas nas páginas do Antigo Testamento. Como Abraão foi justificado pela fé (Gn 15:6; Rm 4), e essa fé se evidenciou na prática de boas obras (Tg 2:21-24), assim também o foi Raabe. Hebreus 11:31 declara que “pela fé, Raabe, a meretriz, não foi destruída com os desobedientes, porque acolheu com paz aos espias”. E Tiago 2:25 acrescenta que a fé dessa mulher foi genuína porque resultou na prática de boas obras.

Mas o fato da vida de Raabe ser poupada, sendo ela uma prostituta e havendo mentido aos emissários do rei de Jericó, não significa que Deus estivesse sancionando tais pecados explicitamente condenados no Decálogo (ver Êx 20:14 e 16). Nesse incidente, Deus manifestou Sua graça salvadora a uma prostituta possuída de uma fé genuína, com o propósito de salvá-la de sua vida de pecado. O mesmo poder regenerador que atuaria na vida da “mulher adúltera”, durante o ministério terrestre de Cristo (Jo 8:1-11), também transformou a vida da prostituta Raabe. E o mesmo amor compassivo que perdoaria as mentiras do pretensioso apóstolo Pedro (Mc 14:27-31; 66-72) também perdoou a mentira de Raabe.

Todos os habitantes da cidade [de Jericó], com todo o ser vivo que nela se continha, “desde o homem até à mulher, desde o menino até ao velho, e até ao boi e gado miúdo, e ao jumento”, passaram ao fio da espada. Apenas a fiel Raabe, com sua casa, foi poupada, em cumprimento da promessa dos espias. A cidade foi queimada.

O mais bonito é ver como dessa fé nasceu a esperança para o mundo, Raabe faz parte da genealogia do Salvador do mundo.

Fonte: Filhas de Deus – Ellen White/Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/02/28/raabe/

Neomi – Filhas de Deus – #FelizDiaDasMulheres

“…porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o Senhor, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido.” Deuteronômio 5:15

Noemi era uma mulher feliz, por estar  casada com um bom marido chamado Elimeleque e por ter dois filhos. Noemi e sua família saíram de Belém, cidade da região de Judá e foram para Moabe, por causa da fome, e ali naquela terra eles prosperaram e venceram as circunstâncias difíceis. Seus dois filhos casaram-se com duas mulheres estrangeiras moabitas, chamadas Rute e Orfa. Em Moabe, Noemi vivenciou momentos difíceis que poderiam ter abalado a sua vida. Mas mesmo assim permaneceu fiel ao Deus de Israel.

O primeiro momento difícil na vida de Noemi foi quando morreu Elimeleque, o seu marido Ver Rute 1:3. Ela ficou em situação difícil, tendo que criar sozinha seus dois filhos. Acho Noemi uma mulher de fibra, pois ela enfrentou como viúva a criação de seus dois filhos. Ela não se entregou às dificuldades, mas confiando em Deus superou aquele momento.

Tempos depois, uma tragédia aconteceu, e Noemi viu os seus filhos morrerem. Com a morte de seus dois filhos, Noemi viu muitos de seus sonhos morrerem. O que toda mãe espera é viver para na velhice e morte ser assistida por seus filhos. Porém, é  terrivelmente triste uma mãe viver para ver seus filhos morrerem.

Mas, você pensa que Noemi desistiu? Não. Ela não se entregou a uma depressão, a sentimentos negativos de destruição. Ao contrário, a Bíblia diz que nesse momento Noemi tem uma atitude. Ver 1:6.:  “Então, se dispôs ela com as suas noras e voltou da terra de Moabe, porquanto, nesta, ouviu que o Senhor se lembrara do seu povo, dando-lhe pão.”

Assim com Noemi, lembremo-nos do Senhor nos momentos de crise. Deuteronômio 5:15 diz.: “…porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o Senhor, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido.”

Noemi não foi esquecida por Deus. Rute, sua nora, foi  levantada por Deus para ajudar Noemi. Rute deixou sua família e sua terra  e adotou a cultura  e religião de Noemi e do seu povo. Noemi não tinha materialmente nada para oferecer a Rute, mas Rute se tornou sua aliada fiel.

Rute desejou ter em sua vida o mesmo Deus de Noemi. O testemunho de Noemi e seu exemplo de vida, influenciaram a Rute ao ponto dela desejar o mesmo Deus de Noemi. “O teu Deus será o meu Deus”.

Fonte: Filhas de Deus – Ellen White/Daughters of Grace, Trudy J. Morgan-Cole.

Fonte Original: http://www.adventistas.org/pt/mulher/2015/02/27/noemi/