“Babilônia”, a nova confusão da Globo

Beijo gay no primeiro capítulo. Mas já?

“Beijo na boca entre duas senhoras, duas cenas de sexo casual, golpe do baú, réveillon em Paris, traição, menina ingênua enganada por homem casado, gravidez indesejada, exploração na fila do transplante, duas chantagens, um atropelamento, um assassinato. Em outros tempos, essas situações poderiam ocorrer ao longo de uma novela inteira. Nos dias de hoje, em que é preciso dar choques elétricos no espectador a cada minuto, não há tempo para enrolação, ao menos no capítulo de estreia. ‘Babilônia’ pegou o espectador pelo colarinho e o sacudiu por mais de uma hora com essa saraivada de situações. Foi atordoante. Tudo aconteceu em sequência, com impressionante agilidade. Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga fizeram o possível e o impossível para manter o público de olhos abertos nesse primeiro capítulo.

“Duas vilãs em estado bruto foram apresentadas e duelaram em cena – Beatriz (Gloria Pires) e Inês (Adriana Esteves). Idem para a mocinha pobre e ingênua, Regina (Camila Pitanga), que caiu na conversa de um homem casado, Luis (Gabriel Braga Nunes), e engravidou no primeiro encontro. Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg) se beijaram logo no início do primeiro capítulo, transformando a questão do ‘beijo gay’ em fato consumado. Como em ‘Vale Tudo’, também de Gilberto Braga, o personagem de Cassio Gabus Mendes, Evandro, caiu na conversa da personagem de Gloria Pires.

“A supervilã Beatriz não apenas armou o golpe do baú em poucas cenas, como também matou o motorista do futuro marido, Cristovão (Val Perré), que a estava chantageando, e ainda deu um jeito de culpar Inês, a segunda vilã da história, que também está tentando arrancar dinheiro dela.”

Esse é o resumo de Maurício Stycer (publicado no UOL) do primeiro capítulo do novo folhetim de uma das emissoras de TV que mais contribui para a disseminação da baixaria em nosso país. Durante alguns meses, todas as noites, adultos e crianças terão contato com esse tipo de conteúdo. Note que o próprio Stycer reconhece que o povo já está meio que amortecido depois de contemplar nas telas tanta perversão, distorção de valores e pouca-vergonha. Os produtores de novelas, filmes e seriados precisam apelar cada vez mais, se quiserem manter a atenção dos telespectadores que eles mesmo ajudaram a dessensibilizar. Assim, se antes era necessário valer-se de inúmeros capítulos como preparação para um beijo gay no final da novela, agora já começam com isso, e a aceitação é absoluta. Dá-lhe “instinto de rebanho”!

Aliás, veja só o que o deputado militante gay Jean Wyllys escreveu eu seu Twitter: “O choro é livre, reacionários e fundamentalistas e fascistas e homofóbicos. Eu vivi pra ver! Parabéns.”

Agora quem não considera apropriadas as cenas exibidas na TV, em horário nobre, não pode nem se manifestar. Do contrário, corre o risco de ser considerado “reacionário”, “fundamentalista”, “fascista” (!) e “homofóbico”. Aliás, o ex-candidato à presidência da República Levy Fidelix foi condenado a pagar 1 milhão de reais a movimentos LGBT, acusado de homofobia (confira). Por quê? Por ter feito as seguintes declarações: “Dois iguais não fazem filho” e “Aparelho excretor não reproduz”. Tem algo de errado nisso? Biologicamente falando, as frases estão corretíssimas. Se Fidelix foi condenado por falar obviedades, por que não foram condenados os militantes gays que profanaram símbolos religiosos em público (confira aqui e aqui)? O Código Penal Brasileiro, em seu artigo 208, traz o seguinte: “Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena – detenção, de um mês a um ano, ou multa. Parágrafo único: Se há emprego de violência, a pena é aumentada em um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.”

Quanta justiça…

Sophie será uma prostituta de luxo.

Bem, voltemos à novela da Globo. Uma das vilãs será interpretada por Gloria Pires: Beatriz é uma ninfomaníaca que se livra dos homens depois de ter relação sexual com eles. Bruno Gagliasso vai encarnar um cafetão e transformar a personagem de Sophie Charlotte em uma prostituta de luxo. Deborah Evelyn dará vida a uma mulher totalmente desequilibrada capaz de tudo para atingir seus objetivos. Cássio Gabus Mendes será um milionário que adora fazer maldades. Marcos Palmeira vai viver um político corrupto.

Ontem li o capítulo 2 da primeira carta de Paulo aos Coríntios, e me deparei mais uma vez com o versículo que diz: “Nós, porém, temos a mente de Cristo.” Esse “porém” contrasta a “mente espiritual” com a descrição anterior de uma mente secularizada, não espiritual. Sinceramente, não sei como alguém que perde tempo diariamente com um tipo de conteúdo como esse veiculado em “Babilônia” pode ter a “mente de Cristo”. Para ter a mente de Cristo é preciso ter Cristo na mente. O dia a dia já é tão corrido que se torna um desafio encontrar tempo para a leitura da Bíblia e para a oração. Como, então, desperdiçar uma hora todos os dias para assistir à promoção de “valores” que atentam contra os princípios cristãos? Que tipo de conteúdo vai povoar seus pensamentos? E escolha é sua, evidentemente

A palavra “Babilônia” significa “portal dos deuses”. Para os judeus, o termo vem do hebraico antigo babel (בבל), que significa “confusão” (“grande confusão”, segundo o Dicionário Michaelis). Babilônia foi a capital da antiga Suméria e Acádia, na Mesopotâmia. E no Apocalipse (cap. 17) é utilizada para simbolizar a prostituição espiritual, a confusão doutrinária e a oposição às verdades divinas.

De certa forma, confusão, prostituição e deboche das verdades bíblicas serão exatamente o conteúdo que milhões de brasileiros contemplarão todos os dias, por alguns meses, a partir desta semana. [MB]

Em tempo: Continua ativa no site da Câmara dos Deputados a enquete: “Você concorda com a definição de família como núcleo formado a partir da união entre homem e mulher, prevista no projeto que cria o Estatuto da Família?” Não deixe de votar! Clique aqui.

Fonte: http://www.criacionismo.com.br

Reportagem avalia filmes bíblicos produzidos por Hollywood

Filmes como Noé levantam a polêmica sobre produções que se baseiam ou distorcem o livro sagrado do cristianismo em seu roteiro.

Tatuí, SP … [ASN] A edição de fevereiro da Revista Adventista, editada pela Casa Publicadora Brasileira, abordou em uma grande reportagem o conteúdo dos filmes bíblicos, especialmente os produzidos no padrão Hollywood. Na matéria jornalística, Diogo Cavalcanti ouviu e reunião opinião de vários especialistas que analisaram  a dita inconsistência de fidelidade bíblica desses lançamentos cinematográficos.

Em um dos trechos da reportagem, por exemplo, a doutora Adele Reinhartz, professora de Estudos Clássicos e de Religião da Universidade de Ottawa, no Canadá, afirma que  “toda adaptação cinemática de um livro difere de maneira significativa de sua fonte. As histórias devem ser encurtadas, simplificadas, ampliadas ou reorganizadas para se encaixar no formato filme. Os diretores tanto complementam quanto contradizem suas fontes bíblicas. Ao mesmo tempo em que, como cineastas, reivindicam implicitamente que seus filmes são autênticos, subvertem essa reivindicação pelo próprio ato de adaptar a Escritura para o cinema”.

Para ler a reportagem completa, basta clicar aqui. [Equipe ASN, da Redação]

Veja também entrevista em vídeo sobre o assunto dos filmes bíblicos

Fonte: http://noticias.adventistas.org/pt/noticia/biblia/reportagem-avalia-inconsistencia-biblica-de-filmes-de-hollywood/

Cresce área de games bíblicos da Novo Tempo

Jacareí, SP … [ASN] A área de Web da Novo Tempo criou, em setembro do ano passado, uma área específica para games com temática bíblica. Até agora foram cinco lançamentos (quatro para dispositivos móveis e um para o Facebook) desenvolvidos para sistemas operacionais IOS e Android. O número de downloads desses aplicativos foi até hoje (2) de aproximadamente 27 mil. Esses aplicativos alcançam principalmente crianças e adolescentes com menos de 17 anos de idade. “Podemos dizer que está havendo um crescimento, sim, em função da curiosidade das pessoas por materiais com esse direcionamento”, afirma Carlos Magalhães, diretor de Web da Rede Novo Tempo de Comunicação.

O app Profecias para Crianças, por exemplo, saiu inclusive na versão para o espanhol e para o inglês. Essa deverá ser uma tendência para os próximos lançamentos. A ideia é ter novidade todos os semestres.

Pesquisas recentes demostram que mais 68% das pessoas que jogam tem menos de 18 anos. Se somarmos todo tempo que cada pessoa do planeta gasta em jogos online por uma semana chegaremos a 3 bilhões de horas. Vários especialistas indicam que nos próximos anos os games provavelmente perderão o aspecto de ser um problema e ganharão status de ferramenta educacional.

“Ainda estamos na fase de adaptação e aprendizado, mas acreditamos que a medida em que formos evoluindo nessa área teremos mais jogos e com capacidade de atingir outras faixas etárias, mas sempre com o objetivo de levar a mensagem de  esperança e salvação”, acrescenta Magalhães.

Leia também:

Games e Religião

Jogando com propósito

Jovens cristãos se voltam com mais intensidade para os games. É o caso de um grupo de jogadores de jovens cristãos que se uniu para formar o Game2Save.com. Eles participam de comunidades de jogos online, mas também tem como propósito fazer amizades e apoiar outros gamers que enfrentam problemas pessoais.

“Nas comunidades de jogos online é comum encontrar adolescentes e jovens que sofrem dramas familiares, sentimentos de rejeição, depressão e bullying. Para alguns jogar é uma fuga da realidade”, diz Rosemeire Silva, integrante do Game2Save.

O usuário do aplicativo Gedeone Faria comentou, no site do jogo, que se trata de “uma excelente iniciativa para os pequeninos que pouco acesso têm nos smartphones sobre assuntos espirituais e de forma descontraída e objetiva. Espero ansioso por mais estudos para enriquecimento espiritual dos meus filhos que a propósito, adorarão”. Para Ana Garcia, o game é “uma forma de preparar a próxima geração para a pregação do evangelho e a volta de Jesus”. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

Veja vídeo:

Fonte: http://noticias.adventistas.org/pt/

6º Dia – Tema: Perseverança Espiritual – #10diasdeoracao

oracao6-10dias-oracao-950x535Comece o dia com oração – Que seja dedicado tempo, cada manhã, para começar o trabalho com oração. Não pense que isso é uma perda de tempo, pois é algo que perdurará através de séculos eternos. Dessa forma, o êxito e a vitória espiritual serão assegurados. Tudo irá responder ao toque das mãos do Mestre. É claro que as bênçãos de Deus devem ser reivindicadas, mas o trabalho
não pode ser feito corretamente, a menos que o começo seja correto. (Testemunhos Para a Igreja, v. 7, p. 194.)
Oremos hoje também pelas crianças que tanto carecem por proteção nesse mundo tão conturbado e violento!

Destaque

Comece o dia com oração – Que seja dedicado tempo, cada manhã, para começar o trabalho com oração. Não pense que isso é uma perda de tempo, pois é algo que perdurará através de séculos eternos. Dessa forma, o êxito e a vitória espiritual serão assegurados. Tudo irá responder ao toque das mãos do Mestre. É claro que as bênçãos de Deus devem ser reinvindicadas, mas o trabalho não pode ser feito corretamente, a menos que o começo seja correto. (Testemunhos Para a Igreja, v. 7, p. 194.)
Em seguir a Cristo e olhar para Aquele que Autor e Consumador de nossa fé, vocês sentirão que estão trabalhando sob Seu olhar, que são influenciados por Sua presença e que Ele conhece os seus motivos. A cada passo perguntarão humildemente: “Isso agradará a Jesus? Glorificará a Deus?” De manhã e a noite as suas orações fervorosas ascenderão a Deus em busca de Sua bênção e guia. A verdadeira oração se apega à Onipotência e nos dá a vitória.
Sobre os joelhos, os cristãos obtém forças para resistir à tentação. (Ibid., v. 4, p. 615, 616)

Fuja da confusão! Pesquise antes de compartilhar

São Paulo, SP… [ASN] Desde crianças somos ensinados por historinhas infantis e contos a ter vigilância epistêmica, um termo que significa vigiar se o que está sendo dito é realmente verdade. É uma pena que somos muito vigilantes para certas coisas e não temos qualquer vigilância para outros. É o caso do vídeo abaixo. Ele tem sido espalhado pelas redes sociais e smartphones com um conteúdo alarmista e mentiroso. Graças ao Whatsapp, por onde o vídeo começou a ser divulgado, não é possível qualquer rastreio de quem foi o primeiro a disponibilizar o tal vídeo. O sistema do Whatsapp opera sem uma central de interação de dados, um sistema parecido com o “peer-to-peer” (par-a-par ou p2p) que popularizou arquivos distribuídos pela internet que não são rastreáveis até o autor. Não saberemos ao certo quem foi que com tão “má fé” criou legendas falsas para um discurso do Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, às Nações Unidas sobre paz.

Sim, o tema tratado no discurso é a busca da paz e resolução dos atuais conflitos.

O que o presidente norte-americano realmente disse foi:

Sr. Presidente, sr secretário geral, (..) delegados, senhoras e senhores.
É uma grande honra pra mim estar aqui hoje. Eu gostaria de falar com vocês sobre um assunto que é o coração das Nações Unidas.
O (..) da paz em um mundo imperfeito.
Um conflito tem estado conosco desde o começo das civilizações, mas na primeira parte do século XXI os avanços das (armas modernas elevaram a morte a uma nova escala).
Foi esta matança que (..) os fundadores deste corpo a construir uma instituição que fosse focada não apenas no fim de uma guerra, mas (..) em outras.
A união dos estados (..) que buscam (..) conflitos estão também aderindo as suas causas.
Nenhum americano entendia melhor esse assunto do que o presidente Franklin Roosevelt, ele sabia que uma vitória na guerra não era suficiente. Assim como ele disse em uma das primeiras reuniões da fundação das nações unidas: “nós temos que fazer não meramente a paz, mas uma paz que vá durar.”
Os homens e mulheres que construíram essa instituição, entenderam que a paz é mais do que a ausência de guerra. Uma paz que dure, permanece e (..) , depende de um senso de justiça e oportunidade, de dignidade, e liberdade.
Isto depende de (força) e sacrifício e (comprometimento com a humanidade).
Uma delegada da conferencia de São Francisco, que participou da criação das nações unidas falou bem: “muitas pessoas – ela disse – tem falado como se tudo o que é preciso para ter paz é dizer em voz alta que amamos a paz e odiamos a guerra.”
Agora aprendemos que não importa o quanto amamos a paz e odiamos a guerra, não podemos evitar a guerra sobre nós se há (conflitos) em outras partes do mundo.
Com nossas esperanças e não com nossos medos, juntos podemos fazer a paz, mas uma paz, mais importante, que irá durar!
Muito obrigado”.
Tradução: Pr. Cláudio Leal

O vídeo é verdadeiro e legítimo, o que não pode ser dito de suas legendas. Estas foram completamente alteradas e falsificadas. Muitos que tem o conhecimento da língua inglesa prontamente detectaram o absurdo da falsificação. Outros, entretanto, pelo desconhecimento do idioma ficaram reféns de duas coisas. Das falsas legendas e de suas convicções de fé.

Este artigo tem o objetivo primário de alertar contra essa mentira e desmascarar o vídeo acima. Mas também pretende aproveitar a ocasião e tirar 3 lições do acontecido.

1 – Não acredite em tudo que encontra na Internet – Sempre confira as fontes, origens e busque a opinião de outras pessoas, de preferência com mente questionadora, a possibilidade de tais fatos serem reais. Uma dica preciosa, no caso de vídeos e fotos, é possível entrar no “Google Imagens” e fazer uma busca pela foto ou printscreen do vídeo, para encontrar a notícia original sobre o tema. (Veja foto ilustrativa).

Outra dica é conferir sempre o site e-farsas.com para verificar se uma história é real. Em se tratando de temas religiosos é possível que eles não tenham a resposta, mas para os outros boatos estão sempre atentos.

2 – Tenha vigilância epistêmica – Paulo nos ensina um principio muito importante dessa vigilância ao citar os Bereanos. Em Atos 17:11 ele fala o seguinte deles: “Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”. Ele chama os Bereanos de “mais nobres” porque conferiam se o que próprio Paulo dizia era verdade e estava nas escrituras. Por isso, não sejamos apenas prudentes com a internet, mas em tudo sejamos conferidores da verdade e estudiosos. Isso fará de nós mais do que um povo alarmista, um povo nobre. Esse é um principio bíblico formidável para nossa vida.

3 – Não confie em suas convicções pessoais, mas na Palavra de Deus – Infelizmente nos últimos anos com o aumento da capacidade comunicativa do ser humano uma enxurrada de informações falsas e teorias conspiratórias tem invadido nossas casas. Desde as mais absurdas teorias e estórias, e muitas delas apoiadas por uma cultura do Apocalipse que não condiz com o jeito bíblico de entender as profecias. Gostaria de aproveitar e dar algumas dicas rápidas para percebermos que precisamos estudar muito mais esses temas em vez de apenas repetir o que aprendemos a anos atrás da boca de outros, sem usar o principio dos Bereanos.

Por exemplo, as profecias bíblicas não devem ser vistas como uma fotografia do futuro. Toda vez que achamos que, por causa da compreensão profética, estamos “adivinhando” o futuro ou prevendo quando e como as coisas vão acontecer, violamos o princípio bíblico. As profecias não foram feitas para que o seu “como” e “quando” fossem compreendidos antes dos acontecimentos, mas depois dos acontecimentos. Elas não servem para prever o futuro, mas para mostrar que Deus é quem está no comando e a frente da história. Por isso elas sempre são compreendidas completamente DEPOIS que acontecem, olhem para a Bíblia e para nossa história e vejam que sempre foi assim.

No entanto, embora as profecias não nos mostrem “como” e “quando” em detalhes, elas nos dizem “o quê” está para acontecer. Dando um exemplo rápido, sabia-se muito antes de nascer que o Messias nasceria em Belém, isso é o “o quê”. Sabia-se que Ele salvaria o mundo. Mas não se sabia nem “quando” e nem “como”, mesmo havendo uma profecia de dias (Daniel 9) falando da data de sua morte e batismo. Só fomos entender isso depois que aconteceu. O “o quê” já é mais do que suficiente para sabermos, já nos dá o que precisamos para nos preparar. O “como” e o “quando” é pura curiosidade, irrelevante, e só serve para nos confundir antes da hora. Os fariseus, por exemplo, sabiam de muitas das profecias sobre o Messias, mas tinham imaginado tanto “como” seria, que “quando” aconteceu não perceberam “o que” era.

Então fica a grande dica, não tente preencher as lacunas da profecia com fatos, matérias de jornais, vídeos do Youtube ou conspirações. Procure na Palavra, pois tudo o que você precisa estará lá. [Equipe ASN, Diego Ignacio Barreto, Dep. de Liberdade Religiosa e Comunicação da APS]

Fonte: http://noticias.adventistas.org/

Não desista!

TEMPO DE REFLETIR 419 – 23 de fevereiro de 2015

“Portanto… corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta” (Hebreus 12:1).

Muitas pessoas tem uma perspectiva excessivamente idealista da vida cristã. Elas acham que deveria ser uma série ininterrupta de experiências místicas. Elas leem livros e revistas cristãs e ouvem testemunhos pessoais de eventos comoventes e concluem que a vida toda é assim. Em seu mundo dos sonhos, não há problemas, decepções, dificuldades e complicações. Não há trabalho duro, rotina diária ou monotonia. É o sétimo céu. Quando percebem que suas vidas não seguem este padrão, sentem-se desanimadas, desiludidas e desprivilegiadas.

A verdade é esta: A maior parte da vida cristã é o que G. Campbell Morgan chama de “o caminho da árdua perseverança ao fazer coisas aparentemente pequenas”. Esta é a forma como eu a vejo. Houve inúmeras tarefas simples, longas horas de estudo e disciplina, de serviços sem resultados aparentes. Às vezes surge a pergunta: “Estamos realmente fazendo alguma coisa?” Exatamente neste ponto o Senhor nos dá um sinal de encorajamento, uma resposta maravilhosa a um pedido de oração, uma palavra clara de orientação; e me sinto fortalecido para continuar mais um pouco.

A vida cristã é uma corrida de longa distância, não um tiro de 100 metros e precisamos de resistência para corrê-la. É importante começar bem, mas o que realmente conta é a resistência que nos capacita a terminar com um glorioso resplendor.

Enoque sempre terá um lugar de honra entre as histórias de persistência. Ele andou com Deus – pense nisto – por 300 anos (Gênesis 5:22). Porém, não devemos pensar que estes foram anos de glamour puro ou empolgação ininterrupta. Em um mundo como o nosso, é inevitável que ele tenha tido sua porção de dificuldades, complicações e até mesmo perseguições. No entanto, ele não cansou de fazer o bem. Ele persistiu até o fim.

Se você for tentado a desistir, lembre-se das palavras de Hebreus 10:36. “… Tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa”. (WM)


Ficha Técnica:
-> Música: Nadson Portugal, “No abrigo dos Teus braços”
-> Locução e edição: Amilton Menezes
-> Finalização: Isa Vasconcelos

Fonte: http://www.wgospel.com/?p=13921

Os anjos e você — uma visão panorâmica

A relação do mundo visível com o invisível, o ministério dos anjos de Deus, a operação dos espíritos maus, acham-se claramente revelados nas Escrituras, e inseparavelmente entretecidos com a história humana.

Antes da criação do homem, existiam anjos; pois, quando os fundamentos da Terra foram lançados, “as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam”. Jó 38:7. … Os anjos são, em sua natureza, superiores aos homens. O salmista diz acerca do homem: “Pouco menor o fizeste do que os anjos e de glória e de honra o coroaste.” Salmos 8:5.

O número e poder dos anjos

Estamos informados pelas Escrituras quanto ao número, poder e glória dos seres celestiais, sua relação com o governo de Deus e também com a obra da redenção. “O Senhor tem estabelecido o Seu trono nos Céus, e o Seu reino domina sobre tudo.” Salmos 103:19. E diz o profeta: “Ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono.” Apocalipse 5:11. No salão de recepção do Rei dos reis, assistem eles — como “anjos Seus, magníficos em poder… ministros Seus, que executais o Seu beneplácito”, “obedecendo à voz da Sua palavra”. Salmos 103:20, 21.

Milhares de milhares e milhões de milhões eram os mensageiros celestiais vistos pelo profeta Daniel. O apóstolo Paulo declarou serem “muitos milhares”. Hebreus 12:22. Como mensageiros de Deus, saem “à semelhança dos relâmpagos” (Ezequiel 1:14), tão deslumbrante é sua glória e tão rápido o seu vôo. O anjo que apareceu no túmulo do Salvador, e tinha o rosto “como um relâmpago, e a sua veste branca como a neve”, fez com que os guardas por medo dele tremessem, e ficassem “como mortos”. Mateus 28:3, 4.

Quando Senaqueribe, o altivo assírio, injuriou a Deus e dEle blasfemou, ameaçando Israel de destruição, “sucedeu, pois, que naquela mesma noite, saiu o anjo do Senhor e feriu no arraial dos assírios a cento e oitenta e cinco mil deles”. 2 Reis 19:35. Ali foram destruídos “todos os varões valentes, e os príncipes, e os chefes”, do exército de Senaqueribe. “E este tornou com vergonha de rosto à sua terra.” 2 Crônicas 32:21.

Os anjos auxiliam os filhos de Deus

Os anjos são enviados em missões de misericórdia aos filhos de Deus. A Abraão, com promessas de bênçãos; às portas de Sodoma, para livrar o justo Ló da condenação do fogo; a Elias, quando se achava a ponto de perecer de cansaço e fome no deserto; a Eliseu, com carros e cavalos de fogo, cercando a pequena cidade em que estava encerrado por seus adversários; a Daniel, enquanto buscava sabedoria divina na corte de um rei pagão, ou abandonado para tornar-se presa dos leões; a Pedro, condenado à morte no calabouço de Herodes; aos prisioneiros em Filipos; a Paulo e seus companheiros na noite da tempestade no mar; ao abrir a mente de Cornélio para receber o evangelho; ao enviar Pedro com a mensagem da salvação ao desconhecido gentio — assim, em todos os tempos, têm os santos anjos ministrado ao povo de Deus.

Assim, ao povo de Deus, exposto ao poder enganador e vigilante malignidade do príncipe das trevas, e em conflito com todas as forças do mal, é assegurada a incessante guarda dos seres celestiais. Tampouco é tal segurança dada sem necessidade. Se Deus concedeu a Seus filhos promessas de graça e proteção, é porque há poderosos agentes do mal a serem enfrentados — agentes numerosos, decididos e incansáveis, de cuja malignidade e poder ninguém pode sem perigo achar-se em ignorância ou inadvertência.

Satanás e os anjos maus

Os espíritos maus, criados a princípio sem pecado, eram iguais, em sua natureza, poder e glória, aos seres santos que ora são os mensageiros de Deus. Mas, caídos pelo pecado, acham-se coligados para a desonra de Deus e destruição dos homens. Unidos com Satanás em sua rebelião, e com ele expulsos do Céu, têm, através de todas as eras que se sucederam, cooperado com ele em sua luta contra a autoridade divina. Somos informados, nas Escrituras, acerca de sua confederação e governo, suas várias ordens, inteligência e astúcia, e de seus maus intuitos contra a paz e felicidade dos homens.

Ninguém se acha em maior perigo da influência dos espíritos maus do que aqueles que, apesar dos testemunhos diretos e amplos das Escrituras, negam a existência e operação do diabo e seus anjos. Enquanto estivermos em ignorância no que respeita a seus ardis, têm eles vantagem quase inconcebível; muitos dão atenção às suas sugestões, supondo, entretanto, estar seguindo os ditames de sua própria sabedoria. É por isto que, aproximando-nos do final do tempo, quando Satanás deverá trabalhar com o máximo poder para enganar e destruir, espalha ele por toda parte a crença de que não existe. É sua política ocultar-se a si mesmo e agir às escondidas.

É porque se mascarou com consumada habilidade, que tão amplamente se faz a pergunta: “Existe realmente tal ser?” Evidencia-se o seu êxito na geral aceitação que obtêm no mundo religioso teorias que negam os testemunhos mais positivos das Escrituras. E é porque Satanás pode muito facilmente dirigir o espírito dos que se acham inconscientes de sua influência, que a Palavra de Deus nos dá tantos exemplos de sua obra maligna, descobrindo aos nossos olhos suas forças secretas, e desta maneira pondo-nos de sobreaviso contra seus assaltos.

Os seguidores de Cristo acham-se seguros

O poder e malignidade de Satanás e seu exército deveriam com razão alarmar-nos, não fosse o caso de podermos encontrar refúgio e livramento no superior poder de nosso Redentor. Pomos cuidadosamente em segurança as nossas casas por meio de ferrolhos e fechaduras, a fim de proteger contra homens maus nossa propriedade e vida; mas raras vezes pensamos nos anjos maus, que constantemente estão a procurar acesso a nós, e contra cujos ataques não temos em nossa própria força método algum de defesa. Se lhes permitirmos, podem transformar-nos o entendimento, perturbar e atormentar-nos o corpo, destruir nossas propriedades e vida. Seu único deleite está na miséria e ruína.

Terrível é a condição dos que resistem às reivindicações divinas, cedendo às tentações de Satanás, até que Deus os abandone ao governo dos espíritos maus. Mas os que seguem a Cristo estão sempre seguros sob Sua proteção. Anjos magníficos em poder são enviados do Céu para protegê-los. O maligno não pode romper a guarda que Deus pôs em redor de Seu povo.

Ellen G.White, A Verdade sobre os Anjos, Capítulo 1.

Fonte: https://setimodia.wordpress.com/